Relatório de Lupion acabou com voto secreto na Assembleia/PR

Em recente episódio, repercutido pela mídia nacional, o plenário do Senado parou para discutir como deveria ser a votação que decidiria sobre a manutenção, ou não, do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) no presídio._x000D_
_x000D_
Momentos antes, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), havia defendido que a sessão fosse secreta, com base em artigo do regimento interno da Casa. A discussão, entre os senadores, sobre como ocorreria a votação correu à tarde e à noite. Havia o grupo que defendia para o Regimento Interno da Casa, havia os que recorriam à outra interpretação para a maneira que deveria seguir a votação._x000D_
Depois de muita conversa, Renan disse que iria “recorrer de ofício” da própria decisão para que o plenário pudesse dar a palavra final sobre o procedimento de votação no caso, que é inédito. “Adicionalmente, e não poderia fazer diferente, (…) eu recorro de ofício da minha decisão para o plenário”, declarou._x000D_
A manutenção do senador petista na prisão foi decidida por 59 votos favoráveis, 13 contra e 1 abstenção._x000D_
Para o deputado estadual Pedro Lupion (DEM-PR) nos dias atuais um parlamentar possui plenas garantias jurídicas que permitem a ele exercer seu mandato com independência, liberdade de consciência e respeito àqueles que o elegeram._x000D_
“Quase vimos se perder no senado a votação de um momento histórico para o país. Uma longa discussão para definir se o voto deveria ser aberto ou fechado não poderia sobrepor a principal discussão daquele dia. Pela primeira vez no Brasil vimos um senador ser preso em pleno exercício do mandato, acusado de obstrução da justiça na operação Lava Jato, que está minando as falcatruas do PT. A votação para a manutenção do parlamentar na prisão era a questão principal e não a maneira de como se dariam os votos” ,destaca o deputado._x000D_
Em setembro de 2013, Lupion foi relator da PEC 04/2013 que aboliu o voto secreto no legislativo paranaense.Em seu relatório Lupion defendeu que para garantir a independência dos poderes, o voto secreto, ao gerar a impossibilidade do povo conhecer o voto dos seus representantes é que facilitaria a possibilidade da interferência indevida, por meio de acordos ou negociações espúrias, imorais e ilegítimas._x000D_
No relatório o parlamentar enfatizou que se no passado o voto segredo era justificado, no atual estágio de evolução democrática em que vivemos, a perpetuação do voto secreto se apresenta como inaceitável, comprometendo inclusive a credibilidade do Poder Legislativo perante a sociedade.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.