Evandro Junior defende ações no caso dos aterros

Municipalista, deputado estadual Evandro Jr (foto), do PSDB, defendeu nesta terça-feira (24) ações para orientar os municípios na implantação de programas para a implantação de aterros sanitários em substituição aos conhecidos lixões. “A geração de resíduos é um problema de todos nós e precisa estar presente na agenda de ações de todos os municípios, com especial atenção para aqueles que ainda mantêm lixões”, disse o deputado durante reunião do Bloco Parlamentar Municipalista, na Assembleia Legislativa do Paraná._x000D_
O Bloco Municipalista recebeu técnicos do Estado, que vieram apresentar aos deputados estaduais a atual situação do Paraná quanto à eliminação dos lixões. O prazo previsto pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada em 2011, era de que todos os municípios brasileiros erradicassem os chamados lixões em quatro anos. Contudo, neste ano o Senado aprovou a Medida Provisória Nº 678, com emenda do deputado federal paranaense Alfredo Kaefer (PSDB), prorrogando esse prazo por três anos, até 2018._x000D_
Hoje, estima-se que dois terços dos municípios brasileiros ainda não tenham conseguido implantar os aterros sanitários e, dessa forma, atender ao Plano Nacional de Resíduos Sólidos. No Paraná, explicaram os técnicos do Estado, a situação é diferente, uma vez que perto de 60% dos municípios já eliminaram os lixões, que funcionam como áreas sem o devido controle ambiental de sanidade, gerando transtorno para a sociedade, de forma especial para as pessoas que moram próximo a esses locais._x000D_
Para o líder do Bloco Municipalista, com este novo prazo o objetivo é orientar e acompanhar o planejamento e a execução da Política Nacional de Resíduos Sólidos adotadas nos municípios, melhorando assim as condições de vida da população e a qualidade ambiental._x000D_
O coordenador de Resíduos Sólidos do Meio Ambiente do Paraná, Vinício Bruni, defendeu a gestão dos resíduos sólidos através de aterros sanitários regionais, com o objetivo de que sua implantação beneficie de uma só vez, o maior número possível de municípios. Bruni lembrou que o correto funcionamento dos aterros é vital para o máximo aproveitamento da vida útil planejada, minimizando assim os impactos ambientais e, sobretudo, evitar que o aterro se torne um lixão, gerando desperdício do dinheiro público investido na sua implantação._x000D_
O gerente da Unidade de Resíduos Sólidos da Sanepar, Péricles Sócrates Waber falou sobre a dificuldade que os municípios têm para se adequar à legislação. ”Os prefeitos reclamamdos custos para construção de um espaço adequado e das dificuldades de se obter licenças ambientais como os principais entraves para colocar em prática a política de resíduos sólidos. Portanto devemos nos unir e definir uma maneira de garantir a gestão adequada desses lixos para que possamos executar essa política”, finalizou Waber._x000D_
Na reunião estavam presentes a diretora de Monitoramento Ambiental e Controle da Poluição do Instituto Ambiental do Paraná, a engenheira química Ivonete Coelho da Silva Chaves, o gerente da Unidade de Resíduos Sólidos da Sanepar, Péricles Sócrates Waber, acompanhado do engenheiro João Gomes, e o coordenador de Resíduos Sólidos do Meio Ambiente do Paraná, Vinício Costa Bruni, além dos deputados estaduais Pedro Lupion, Bernardo Carli, Rasca Rodrigues, Guto Silva, Paulo Litro, Luiz Claudio Romanelli e Schiavinato.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.