Ribeirão do Pinhal: Morte de casal é mistério cheio de intrigas

Marido matou mulher e atual namorado dela tirou a vida do suposto assassino

Duplo crime passional impacta o Norte Pioneiro neste início de semana. No final da tarde deste domingo, dia 11, duas mortes (fotos) seguidas aconteceram em Ribeirão do Pinhal.

O trabalhador rural Nei Silvério (foto) , 38 anos, era casado com a vendedora Alessandra Silva Nunes, 36, e tiveram um filho, hoje com 16 anos. Após vários anos resolveu se casar. E depois, se separaram. Ou não, a verdade ainda está para ser revelada.

Em torno das 18h30m deste domingo ele foi conversar com a ex-mulher (ou ainda mulher) na casa dela na rua Antônio Rosa, centro da cidade. O  filho adolescente não estava na residência.

Vizinhos relataram ruído de um disparo de arma de fogo e viram quando o homem fugiu com a moça dentro do seu Fiat Uno,  que chegou a colidir num portão, mas, na sequência teria saído em alta velocidade.

Ainda não está claro o motivo, mas Alessandra após receber um tiro de revólver calibre 32 (foto abaixo) que entrou  pela boca e se alojou em sua cabeça, foi levada no carro por Silvério para o sítio da família dele na localidade chamada Barro Branco.

O atual namorado, um policial militar, ficou sabendo do episódio e foi com seu  Chevrolet Corsa tentar salvar a amada. Quando chegou na propriedade, discutiu com o desafeto e com sua pistola .40 trocou tiros. Só que ele diz que foi atrás porque viu que a vítima estava sendo sequestrada.

Só a perícia técnica vai indicar, mas prováveis três disparos , três no abdômen e um na cabeça, mataram o rapaz. É possível ainda que Silvério tenha atentado contra si mesmo, em suicídio,

Desesperado e rapidamente, o namorado a levou ao Hospital Nossa Senhora das Graças, porém  ela não resistiu e perdeu a vida. O PM permaneceu à disposição da Justiça. Ele sempre residiu em Pinhal.

Relatos correntes na cidade indicam, porém,  outro cenário. A moça estaria tendo um caso com o PM, que também seria casado. O marido teria descoberto e foi tirar satisfações. O PM tinha acabado de deixar Alessandra na casa e ficou nos arredores e teria começado a atirar, sendo o disparo na mulher acidental. O casal estaria brigando
Ainda de acordo com essa versão, o homem seguiu o casal até o sítio, cerca de 5 km da cidade “e executou o marido com quatro tiros”.

O Instituto Médico Legal de Jacarezinho levou os corpos.

As duas armas foram apreendidas. Não há definições sobre sepultamentos,

A Polícia Civil instaurou inquérito , assim como a Militar também para apurar o caso.

O PM foi encaminhado para o 2º Batalhão de Polícia Militar de Jacarezinho.

O delegado Tristão Borborema declarou ao npdiario na manhã desta segunda-feira, dia 12, que “o PM envolvido foi autuado em flagrante por suspeita de homicídio, está no batalhão à disposição da Justiça (pelas condição de PM) e  alegou legítima defesa. Quem vai decidir agora se ele permanece preso ou responde em liberdade será a Justiça”.

A autuação foi pela PC porque ele estava de folga da corporação. Crime comum Justiça estadual. Um oficial acompanhou durante a lavratura.

Veja também: https://npdiario.com/policial/delegado-autua-soldado-por-suspeita-de-homicidio-caso-tem-varias-versoes/

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.