Rubens aprova medidas de combate à Covid

Caberá ao estabelecimento de saúde, público ou privado, onde foi realizada a vacinação, registrar as informações no sistema

A Câmara dos Deputados aprovou nesta semana novas medidas de combate à Covid 19. Uma delas foi o projeto (PL 1295/21) que permite à administração pública comprar com dispensa de licitação insumos e medicamentos, além de bens e serviços de engenharia, para o tratamento hospitalar de pacientes com coronavírus. A outra foi a proposta (PL 468/19) que cria o Cartão Nacional de Vacinação On-line, que vai avisar automaticamente seu titular da necessidade de segundas doses e atualizações das vacinas.

Para o deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR), que votou a favor dos dois projetos, essas são mais duas medidas com o objetivo de salvar vidas num momento que o Brasil ultrapassa a marca das 400 mil mortes por Covid.

“A dispensa de licitação, com critérios para evitar desvio de recursos, é fundamental num momento em que vivemos uma crise no fornecimento de medicamentos e temos urgência na compra de insumos, principalmente dos constantes do chamado kit intubação. Já o cartão on-line vai facilitar a vida dos pacientes, com informações disponíveis em tempo real, e também ajudar no planejamento das ações dos gestores de Saúde”, afirmou o deputado.

No caso da dispensa de licitação, o gestor deverá apresentar justificativa técnica para a compra e para o preço contratado, divulgando as compras após cinco dias úteis na internet.

A estimativa de preços usada pelos governos deverá ser buscada em uma das seguintes fontes: portal de compras do governo federal; pesquisa publicada em mídia especializada; sítios eletrônicos especializados ou de domínio amplo; contratações similares de outros entes públicos; ou pesquisa realizada com os potenciais fornecedores.

O texto aprovado também permite ao gestor realizar pagamentos antecipados se isso representar condição indispensável para obter o bem ou assegurar a prestação do serviço ou ainda se significar grande economia de recursos.

Caso o produto não seja entregue ou o serviço não seja realizado, a administração pública deverá exigir a devolução integral do valor antecipado, atualizado monetariamente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Cartão de Vacinação On-line

Já o Cartão Nacional de Vacinação On-line, vinculado ao CPF dos pacientes, prevê o acesso pelo titular preferencialmente por meio de aplicativo em dispositivos móveis ou equivalentes após cadastro no Ministério da Saúde. Os dados de vacinação viabilizarão ainda a emissão do Certificado Internacional de Vacinação.

A intenção é substituir o cartão de vacinação em papel pelo acesso a um sistema com os dados do usuário a fim de acelerar o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS).

Caberá ao estabelecimento de saúde, público ou privado, onde foi realizada a vacinação registrar as informações no sistema. Nos locais em que não houver acesso ao sistema de informática do SUS, o registro das informações será feito em formulários de papel a serem enviados à unidade de saúde mais próxima dotada de acesso ao sistema.

Os dois projetos seguem agora para a análise do Senado.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.