Roma e Zezão pedem mais leitos exclusivos de UTI no Hospital Regional

Demanda é emergencial em função da ocupação de 100% dos atuais 19 leitos

 

 

Exclusivo: O Primeiro-Secretário da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli e o prefeito Professor Zezão (fotos de arquivo juntos com o vice-prefeito Chico da Aramon) confirmaram, na tarde desta segunda-feira, dia primeiro, terem feito reivindicações para o Hospital Regional do Norte Pioneiro, de Santo Antônio da Platina.

Os líderes pleiteiam mais quatro leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e dez leitos para enfermaria, ambos exclusivos para abrigar pacientes da Covid-19. Hoje, a unidade de saúde já possui dez de UTI e nove semi- intensivo.

Com a atual e aguda fase da pandemia, o parlamentar e o chefe do executivo procuraram o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto,  além da diretoria e, em especial, o presidente da Funeas (Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Estado do Paraná), Marcello Machado, para manifestar a demanda, até porque os casos na região aumentaram muito nas últimas semanas.

A demanda é necessária e altamente urgente, entretanto ainda não houve uma resposta efetiva, “estamos otimistas e esperamos sensibilizar nossos dirigentes porque o Regional atende muita gente todos os dias”, disse Zezão.

 

 

A diretora-geral do hospital, Márcia Cristina Altvater Vilas Bôas , foi procurada e se disse satisfeita com a notícia, apesar de ainda não existir nada oficial em termos de aquisição efetiva. Coincidentemente, nesta segunda-feira, ela e sua equipe fizeram levantamentos técnicos e operacionais sobre equipamentos, logística, espaço físico e mesmo contratação de profissionais, “é difícil, por exemplo, encontrar médicos nessa área”, comentou com o npdiario.

Segunda ela confirmou, a taxa de ocupação dos leitos instalados atualmente é de 100%.

Os leitos de enfermaria são uma espécie de retaguarda.  Dispõem de menos profissionais de saúde e têm menos aparato de equipamentos e servem aos pacientes com sintomas moderados que precisam de observação ou quando estão prestes a receber altas. Quando há agravamento dos sintomas ou do quadro clínico, os pacientes saem desses leitos para a UTI, ou o contrário também.

 

Você terminou a leitura, navegue pelas nossas notícias a seguir

Categorias e tags

Compartilhar essa notícia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Share on whatsapp

Siga-nos

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.