Roma defende regularidade na entrega de vacinas do Ministério da Saúde

O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB) cobrou nesta terça-feira, dia seis, uma regularidade maior do Ministério da Saúde na entrega de vacinas

Há poucos dias, o Ministério reduziu o número de doses anunciadas de 37 milhões para 23 milhões para o Brasil todo. “O Paraná tem realizado um grande esforço para defender a população.

Porém a cada dia que passa o Ministério da Saúde altera o volume e os prazos e essa imprevisibilidade traz insegurança ao calendário da secretaria da Saúde”, disse durante a prestação de contas quadrimestral obrigatória da secretaria da Saúde (Sesa) na Assembleia Legislativa.

Romanelli lembrou que a Assembleia repassou recursos para investimentos na Saúde e para a compra de vacinas. “Fizemos um esforço desde o ano passado para o repasse de recursos à área da Saúde e ao mesmo tempo um repasse de R$ 100 milhões para que o Estado faça sua aquisição assim que ela estiver disponível”. Também foram transferidos R$ 37,7 milhões do Fundo de Modernização da Assembleia para a contratação de leitos de enfermaria e UTI e compra de equipamento de proteção individual para os profissionais da saúde.

VACINAÇÃO O secretário da Saúde, Beto Preto, disse que o Paraná vive o período mais crítico da pandemia da Covid-19 desde o início dela, em 2020. “Cerca de 30% dos óbitos dos paranaenses por Covid aconteceram neste ano e a aceleração tem relação com a chegada da nova cepa”.

O secretário afirmou que vem cobrando o Ministério da Saúde para receber as vacinas, ou comprá-las, assim que for possível. “A nova fábrica da Fiocruz vai passar a produzir 700 mil doses diárias da vacina AstraZeneca Oxford.

A governabilidade disso não está em nossas mãos, mas eu confio na condução tanto da Fiocruz quanto do Instituto Butantan”, afirmou o secretário. “O que não pode acontecer foi o que aconteceu em março”, acrescentou se referindo à redução de 14 milhões de doses.

De acordo com o secretário, a programação é que até o final do mês de maio estejam vacinadas quatro milhões de pessoas no Paraná, entre os com mais de 60 anos de idade, com comorbidades e doenças crônicas, entre outras categorias. “Quero fazer um compromisso de que qualquer novidade de compra ou de novas cargas que cheguem ao Paraná terão todos os dados disponibilizados pela Secretaria da Saúde à Assembleia Legislativa, nossa parceira, e aos 54 deputados preocupados com este processo em suas regiões e bases de atuação parlamentar”, garantiu Beto Preto.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.