Richa, Romanelli e Lupion inauguram obra de quase R$ 16 milhões

Na tarde desta sexta-feira

Os deputados estaduais Pedro Lupion (Democratas) e Luiz Cláudio Ronanelli (PSB) acompanharam o governador Beto Richa (PSDB) nesta sexta-feira, da 26, na inauguração da nova ponte de acesso entre os municípios de Bandeirantes e Itambaracá.

Há cerca de um ano o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) iniciou a construção sobre o Rio das Cinzas, na PR-436, entre as duas cidades. A antiga ponte foi levada pela correnteza após fortes chuvas.

Para o deputado Lupion, a obra era de extrema importância para mobilidade dos moradores da região, e recebeu investimentos do governo estadual no valor de R$ 15 milhões. “O governador Beto Richa acatou prontamente a necessidade dessa obra, uma vez que os transtornos e prejuízos causados foram enormes à toda região,” destaca o parlamentar.

Os trâmites foram realizados com a máxima celeridade que uma obra desse porte permite; inauguramos uma estrutura nova com 210 metros de comprimento. Para evitar que o problema se repita e a região venha a sofrer novos transtornos a ponte foi elevada: terá mais de cinco metros”

Enquanto a construção da ponte era executada, a travessia de veículos estava sendo feita por balsa, porém, antes da chegada da embarcação, os motoristas que faziam o trajeto Bandeirantes / Itambaracá precisavam pegar um desvio por Andirá, que aumentava o percurso em 40 quilômetros.

Segundo Richa, a obra foi priorizada, desde o projeto à execução. “Os trâmites foram realizados com a máxima celeridade que uma obra desse porte permite. Hoje inauguramos uma estrutura nova com 210 metros de comprimento. Para evitar que o problema se repita e a região venha a sofrer novos transtornos a ponte foi elevada: terá mais de cinco metros”, ressaltou o governador.

De acordo com o DER, na nova estrutura foram colocadas 80 estacas com 15 metros de profundidade e dez pilares no rio. A ponte tem 36 vigas, ou seja, 3,2 toneladas de ferro em cada e 24 metros cúbicos de concreto. Na obra inteira foram usados aproximadamente 120 toneladas de ferro e 1.500 metros cúbicos de concreto.

“Já tivemos duas pontes aqui que ruíram em momento de fortes chuvas e de inundação. Essa nova foi projetada justamente para suportar momentos mais críticos de inundações e fortes correntezas. Trazemos aqui mais segurança à população a custos mais baixos”, afirmou Richa, adicionando: “vem para aliviar o transtorno da população que estava fazendo a travessia do rio com balsas. Nos mobilizamos para resolver a situação rapidamente e aliviar a vida muitas pessoas que se utilizam dessa passagem”, completou.

O Governo do Paraná destinou cerca de R$ 16 milhões para a construção da ponte. No entanto, estão sendo feitas medições finais e a obra deve custar menos aos cofres públicos. “Ainda não temos o valor final, mas o custo deve girar em torno de R$ 13 milhões”, afirmou o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

FACILIDADES – A ponte beneficia diretamente mais de 40 mil moradores das duas cidades, além dos outros municípios da região. Diariamente, costumavam passar pela rodovia 1.300 veículos. A nova estrutura foi planejada para eliminar as possibilidades das cheias do Rio das Cinzas de invadir a rodovia.

Para o prefeito de Bandeirantes, Lino Martins, a obra representa o cuidado do Governo do Estado com a qualidade de vida dos moradores da região. “A população estava fazendo a travessia com balsas ou por um desvio, em Andirá, com 80 quilômetros de distância, entre ida e volta. Então era muito sofrimento e muito gasto”, disse.

O prefeito de Itambaracá, Carlos César de Carvalho, destacou a rapidez na realização da obra. “Esta obra foi feita em tempo recorde: um ano e quatro meses. E ela representa a integração entre os municípios da região”, afirmou.

ESTRUTURA – A ponte tem cinco metros de altura, 210 metros de extensão e 12 metros de largura. Há duas faixas de circulação e acostamento nos dois sentidos. Ao todo há 80 estacas, com 15 metros de profundidade, e dez pilares no rio. Na obra inteira foram usadas aproximadamente 377 toneladas de ferro e aço, e 2.170 metros cúbicos de concreto.

A ponte anterior, que caiu em 2 de janeiro de 2016, era quase quatro metros mais baixa e sempre submergia com as chuvas fortes e cheias do rio. Antes disso outra ponte, construída em 1999, caiu em meados do ano 2000.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o diretor-geral do DER-PR, Nelson Leal Junior; o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche; o chefe da Casa Militar, coronel Adilson Castilho Casitas; prefeitos da região, o deputado federal Alex Canziani; os deputados estaduais Luiz Cláudio Romanelli, Pedro Lupion, entre outros.

A reconstrução da ponte que liga Bandeirantes a Itambaracá vai facilitar o deslocamento dos moradores dos dois municípios. Desde janeiro de 2016, quando a antiga ponte cedeu, eles precisavam utilizar uma balsa ou desviar por Andirá, andando mais de 30 quilômetros a mais.

O caminhoneiro Gérson Coutinho mora em Bandeirantes e comemora a construção. “Amanhã eu viajo para Goiânia e já vou desviar mais ou menos uns vinte quilômetros, sem trânsito, posso até sair mais tarde”, disse. “Foi uma construção rápida que vai ajudar muito toda a população de Bandeirantes”, afirmou.

A agricultora Isabel Aparecida de Biagi, moradora de Itambaracá, estava viajando quando a ponte caiu e precisou ficar uma semana na casa de parentes em Bandeirantes porque não conseguiu voltar para casa.

“Este ano foi muito difícil para todos, principalmente para quem precisava trabalhar e tinha que dar a volta por Andirá. Agora temos uma ponte de primeiro mundo que vai facilitar para todo mundo”, disse.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.