Construção de ponte no “Cinzas”

Todas as 36 vigas pré-moldadas que serão usadas na nova ponte sobre o Rio das Cinzas, entre Bandeirantes e Itambaracá, no Norte Pioneiro, estão prontas. A última já foi concretada.As duas cabeceiras da nova ponte também estão prontas. O canteiro de obras avança e já alterou a paisagem sobre o Rio das Cinzas.
A obra contratada e supervisionada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) vai refazer a ligação terrestre entre as cidades de Bandeirantes e Itambaracá. A antiga ponte foi levada pelas fortes chuvas do início deste ano. O investimento do Governo do Paraná é de R$ 15,1 milhões na obra.
Após concluída, a nova ponte vai beneficiar diretamente os 40 mil moradores de Bandeirantes e Itambaracá, além dos outros municípios da região. Até a obra da ponte ser finalizada, a travessia entre as duas cidades é feita por uma balsa contratada pelo DER.
Mais alta para não ser atingida pela correnteza com as cheias do Rio das Cinzas, a nova ponte terá 5 metros de altura, 210 metros de extensão e 12,80 metros de largura. Serão duas faixas de circulação e acostamento nos dois sentidos. Ao todo haverá 80 estacas, com 15 metros de profundidade, e dez pilares no rio.
A ponte terá cinco travessas, as chamadas longarinas, que dão sustentação para o tabuleiro onde passará o pavimento. Uma destas travessas já foi concluída e outras duas devem ser finalizadas na próxima semana.
Depois que todas as travessas estiverem prontas, serão lançadas as 36 vigas pré-moldadas. Este trabalho tem previsão para começar na metade do mês de setembro e a ponte deverá ficar pronta até o fim do ano. Na obra inteira da ponte serão usadas aproximadamente 120 toneladas de ferro e 1.500 metros cúbicos de concreto.
TRAVESSIA – Enquanto segue a construção da nova ponte, a travessia entre as cidades de Bandeirantes e Itambaracá é feita por uma balsa contratada pelo DER. A embarcação funciona todos os dias das 6h às 19h e tem capacidade para o transporte de até 12 veículos leves, ou dois caminhões trucados, e 30 passageiros.
Caminhões, carros, motos e pedestres não pagam tarifa pela travessia. O DER investiu R$ 500 mil no aluguel da balsa, que facilitou a vida de Luiz Gustavo da Silva Barbosa, 21 anos, morador de Itambaracá. Ele trabalha com transporte de produtos de um supermercado da região e faz a travessia quatro vezes por dia.
“Antes da balsa a gente tinha que ir por Andirá, todos os dias. Dá quase 80 quilômetros a mais. A travessia com a balsa demora somente dois minutos”, afirmou Luiz Gustavo. Para ele, a nova ponte será a solução definitiva para a região. “A antiga era muito baixa, rente ao rio. Esta nova vai ser bem melhor e vai resolver de vez para nós, moradores”, disse.
Claudemir Moisés de Lima, 41 anos, mora em Itambaracá e usa todos os dias a balsa para fazer a travessia. “Está melhor, porque não precisamos mais dar a volta por Andirá, ficava muito longe e o gasto era grande. Demorava mais de meia hora e eu gastava R$ 20 de combustível a mais por dia, agora ficou rápido e bem mais em conta”, disse Lima.
Além de facilitar a vida dos moradores, a balsa também ajuda no escamento dos produtos da agricultura da região.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.