Cobra Repórter sugere nova versão do “Meu Campinho”

Visando os portadores de deficiência física no Paraná

Por meio de requerimento apresentado na Assembleia Legislativa nesta semana o vice-líder do Governo e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente , do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai),  deputado estadual Cobra Repórter (foto), está sugerindo a criação e implantação do programa “Meu Campinho Especial”, exclusivo para pessoas portadoras de deficiência.

A iniciativa visa a prática olímpica do paradesporto. O requerimento foi enviado ao governador  Carlos Massa Ratinho Junior, ao  secretário de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega e ao superintendente Geral do Esporte, Hélio Renato Wirbiski.

“A implantação destes centros paradesportivos nas grandes cidades do Paraná e do Programa Meu Campinho Especial, exclusivo para pessoas portadoras de deficiência, partiu de uma sugestão do jovem Rodolfo Fernando Santos de Paula, de Maringá, que está lutando pela implantação de espaços especiais para a prática do paradesporto no Estado. Acatamos a sugestão e vamos trabalhar junto ao Governo para que se torne uma realidade”, afirmou Cobra Repórter.

O deputado destaca que o objetivo é incrementar o acesso das pessoas com deficiências à prática esportiva, com a implantação de praças paradesportivas do tipo Meu Campinho Especial, para iniciação ao alto-rendimento, em todas as faixas etárias e para as diversas deficiências.

 

A sugestão é de um projeto de complexo paradesporto moderno, com tecnologia de ponta, com equipamentos adaptados para a prática de atletismo, basquetebol, tênis em cadeira de rodas e tênis de mesa, bocha, natação, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, futebol de amputados e vôlei sentado, dentre outros.

“Nossa sugestão é que o projeto tenha início em cidades como Curitiba, Londrina, Cascavel, Maringá, Guarapuava, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, para que depois possa se expandir para municípios menores. A regionalização destes centros, além de dar mais oportunidades, ainda evita o transtorno de locomoção dos atletas de cada região, melhorando a acessibilidade , o intercâmbio e o incentivo ao paradesporto”, afirma o deputado.

Ele sugere ainda que seja idealizado no projeto, alojamentos com acessibilidade, auditório para reuniões e cursos, cozinha e refeitório.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.