Câmara aprova inclusão de lactantes no Plano de Imunização

Texto agora será encaminhado para sanção do presidente Jair Bolsonaro

A Câmara dos Deputados aprovou hoje, quinta-feira, dia oito, o Projeto de Lei 2112 /21, que determina que mulheres gestantes, lactantes gestantes, puérperas e lactantes, bem como de crianças e adolescentes com deficiência permanente ou com comorbidades sejam incluídas no grupo prioritário para vacinação contra a Covid-19.

O relatório, elaborado pela deputada Luísa Canziani (foto), foi aprovado de forma simbólica pelo plenário da Casa. O texto agora será encaminhado para sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Luísa Canziani contou com forte apoio do Movimento Lactantes pela Vacina, que atuaram junto à parlamentar na busca de apoios para a proposta. Um pequeno grupo de mulheres esteve no plenário acompanhando a votação. “Preciso aqui expressar meu agradecimento. Hoje, a Câmara dos Deputados literalmente, vestiu a camisa das nossas mães, das nossas crianças, do nosso bem maior que é a vida”, disse a deputada, ao agradecer os apoios que teve em torno da aprovação da matéria.
De origem do Senado, o projeto foi elaborado pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN). Em seu relatório, Luísa manteve o texto original, o que proporcionou uma maior agilidade da tramitação da matéria. Durante os últimos dias, a deputada fez uma intensa mobilização junto aos líderes partidários em busca de votos para o projeto. A mobilização em defesa das gestantes e lactantes recebeu apoio de diferentes partidos.

Desde o início da pandemia, o número de mulheres gestantes e puérperas, as evidências científicas e os dados epidemiológicos têm mostrado que a gestação e o puerpério podem ser fatores de risco para desfechos desfavoráveis da Covid-19, culminando com o maior risco de hospitalização, partos prematuros e óbito de mulheres.
Dados do Conselho Nacional de Saúde (CNS) apontam que, em 2020, foram registrados 544 óbitos de gestantes e puérperas, com uma média semanal de 12,1 mortes. Este número mais que triplicou neste ano. A média de mortes entre gestantes e puérperas passou para 47,9 e até o dia 21 de maio. Só até maio, foram 911 mortes neste público específico, mostram o boletim do Observatório da Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Durante a defesa de seu relatório, Luísa Canziani rememorou a atuação pelos parlamentares Marcelo Ramos, Alexandre Padilha, Túlio Gadelha, Sâmia Bonfim, Lauriete e Aliel Machado, que apresentaram propostas com esse tema.

A deputada ressaltou ainda que, neste momento, as deputadas Talíria Petrone, Sâmia Bonfim, Cris Tonietto, Áurea Carolina que estão em situação de amamentação. Ainda nesta legislatura, deram à luz também as deputadas Renata Abreu e Greyce Elias. No Senado, a senadora Mailza Gomes teve bebê a menos de um ano. “Elas são o exemplo do quanto nossas mulheres precisam de atenção especial”, disse a deputada.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.