Presos marginais em Pinhalão

A Polícia Militar de Pinhalão cumpriu mandados preventivos e prendeu Alisson Barbosa, 19 anos (foto camiseta amarela), e Cleivisson Domingues, 30 , conhecidos nos meios policiais do município de Pinhalão pelos apelidos de Alerta e Cacique.As ações ocorreram terça e quinta-feira,dias 22 e 24 de novembro.As informações foram transmitidas pelo delegado Isaías Machado.
Ambos foram indiciados e presos por cometerem, no último dia seis, crime de roubo agravado e corrupção de menores. O grave delito foi cometido na madrugada de domingo por volta das três horas, próximo ao trevo da PR-422. Os dois, juntamente com um adolescente infrator, todos encapuzados, renderam um morador de Jaboti, agrediram-no com violência na cabeça, amarraram-no num palanque de um pasto nas proximidades da zona urbana e levaram a motocicleta, dinheiro e celular.
A vítima chegou a perder os sentidos e quando os recobrou, conseguiu ir até a base da PM em Pinhalão, que conseguiu identificar e apreender um dos envolvidos em flagrante delito.O garoto de 16 anos já foi removido e internado no Cense(Centro de Sócio-educação) de Cascavel. Os outros dois delinquentes maiores envolvidos (presos na última operação) foram identificados por meio de investigação conduzida por agentes da Polícia Civil de Pinhalão e Tomazina, e suas prisões requeridas ao Poder Judiciário, que as decretou.
A dupla tem várias passagens e ainda é suspeita da prática de inúmeros outros crimes contra o patrimônio praticados na cidade de Pinhalão nas últimas semanas principalmente contra escolas, postos de saúde, uma capela mortuária e contra outros prédios públicos e furtos a residências. Apurou-se que a motocicleta roubada da vitima que foi agredida e amarrada teria sido entregue pelos marginais num ponto de vendas de drogas em Ibaiti e seu paradeiro ainda é objeto de diligências.
O menor apreendido e removido para Cascavel, apesar de ser irmão de um dos dois maiores presos, não colaborou com as investigações e não forneceu elementos para a identificação dos comparsas, o que dificultou o término do inquérito, já que os autores agiram encapuzados.
Os dois presos estão à disposição da Justiça, encarcerados na unidade policial de Tomazina (onde também já se encontram detidos, por conta de outros delitos, o pai de Alisson e um outro irmão de Cleivisson) e, se condenados, podem pegar penas de até 15 anos de reclusão. Ao todo, são cinco encarcerados da mesma família, todos de Pinhalão.

cleivinh

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.