Simpatizantes de candidato a prefeito acusado de assédio mentem que BO é falso

Idoso teria tentado seduzir menina de 15 anos mas familiares descobriram

 

Um candidato a prefeito do Paraná, médico, está sendo investigado por pretenso crime sexual ao fazer assédio a uma criança de 15 anos. Pessoas próximas da apontada vítima garantem que o homem tentou seduzir a menina e inclusive pediu – através do aplicativo WhatsApp imagens de “calcinha e sutiã” – o que acabou revoltando parte da família. Simpatizantes têm espalhado inverdades nos últimos dias afirmando que seria uma montagem ou fake news, o que obviamente não tem o menor cabimento.

O caso segue em sigilo, mas foi denunciado na Polícia Civil de Wenceslau Braz, onde foi aberto inquérito, e no dia 16 de outubro no Nucria ( Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes ), em Curitiba.

Nos prints e depoimentos a que o npdiario teve acesso com exclusividade existem a denúncia e o receio da garota dela e do pai, principalmente, serem prejudicados, já que o denunciado seria uma pessoa de posses e com poder de retaliar familiares de alguma forma. Há diálogos desesperados da vítima com uma amiga que mostra não saber o que fazer diante da gravidade da situação.

 

O namorado de uma parente é quem tomou a iniciativa de levar o que classifica de “ato nojento e covarde” de um homem esclarecido tentando seduzir uma adolescente. O rapaz relatou que, por meio do grupo Exposed do Twitter tomou conhecimento do escândalo.

O homem/político foi procurado três vezes pela reportagem, que explicou o motivo, mas preferiu não comentar e nem se defender. Na cidade, é dada como certa a desistência dele em manter a candidatura.

 

 

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.