Paisagem rural esconde paraíso das águas

_x000D_
_x000D_
São resorts, pousadas, chalés, casas de veraneio, cachoeiras, ilhas, riachos, trilhas e praias de água doce nas duas cidades banhadas pela represa Chavantes. São cerca de 60 mil hectares de área inundada que fazem Ribeirão Claro e Carlópolis formarem a Rota das Águas._x000D_
A paisagem de cartão-postal que se abre em um trajeto de montanhas surpreende o visitante que chega pela primeira vez. “Nos trouxeram para o paraíso”, disse uma turista ao desembarcar em um resort da Rota._x000D_
Os 12 atrativos da Rota das Águas oferecem a possibilidade de descanso no conforto do interior do estado e também atividades de aventura. O projeto que reúne empresários, prefeituras, comunidades e entidades prioriza o desenvolvimento do potencial turístico da região. “Somos a praia do interior. É assim que queremos ser conhecidos”, afirma a consultora do Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas Empresas no Paraná (Sebrae), parceiro da Rota das Águas, Rubia Martoni._x000D_
Em Ribeirão Claro, o turista pode escolher se hospedar em luxuosas instalações, com infraestrutura de resort, e também há opções de hotéis mais simples e rústicos. No Tayayá, o visitante tem à disposição piscina com vista para a represa, piscina aquecida, praia artificial, marina, passeios de escuna, banana boat e jet ski._x000D_
Requinte e bom gosto estão presentes em cada espaço decorativo. Um bar em formato de barco, o escuna bar, atrai os hóspedes para um drinque no fim da tarde. Há locais de recreação para crianças, quadra poliesportiva, marina e uma área para pesca. Segundo o proprietário, Euclides Gava Júnior, o empreendimento aposta no turismo regional. “Os aeroportos estão cheios e as pessoas querem viajar distâncias menores. Então, essa é uma ótima opção”, afirma._x000D_
Na Pousada da Ilha, a poucos quilômetros do Tayayá, o bem-estar é a porta de entrada. Para chegar à sede da pousada, um barco recolhe os hóspedes que chegam à ilha em grande estilo. Os ambientes são acolhedores e toda a ilha fica à disposição do hóspede._x000D_
São apartamentos equipados e várias opções de lazer e descanso para os visitantes, como quadra de tênis, piscina, piscina aquecida e sauna. Um clima intimista e ideal para casais que querem comemorar lua de mel ou apenas relaxar._x000D_
Já para os mais aventureiros, a pousada Ruvina é o destino certo. Com trilha radical de cascatas na mata nativa, pesca esportiva na serra das pedras, cancha de bocha, maia, vôlei, além de uma nascente de água mineral, a simpática família Ruvina recebe os turistas como antigos amigos. A hospedagem no campo agrada pela simplicidade e, é claro, pelas refeições caseiras._x000D_
Se o objetivo é desfrutar da Rota das Águas por uma temporada, várias casas de veraneio ficam à disposição para alugar. Agora, se faltar tempo e a ideia for apenas passar um dia por lá, o Balneário Cachoeira, a praia pública de Ribeirão Claro, é indicado. Para visitar o local, o turista paga apenas R$ 1 e aproveita o dia à beira das águas cristalinas da represa. A prainha é mantida por uma associação de moradores que cuida da limpeza e organização do local. Há área de camping, churrasqueiras, banheiros, lanchonete e restaurante._x000D_
Quem passa por Ribeirão Claro, pode fazer uma parada para um registro fotográfico na Ponte Pênsil. A 13 km da sede do município, a imponente ponte tombada pelo patrimônio histórico do Paraná se estende por 164 metros sobre o Rio Paranapanema._x000D_
A ponte foi construída em 1917 para facilitar o transporte do café produzido em Ribeirão Claro até a cidade de Chavantes (SP). No Brasil existem apenas quatro pontes com as mesmas características._x000D_
Em Carlópolis, o Campo de Golfe Park Taki En é parada obrigatória. Às margens da represa de Chavantes, e ao lado da ponte que liga o Paraná a São Paulo, o local também rende como cenário de vários cliques. As cerejeiras, azaléias e os ipês amarelos completam a paisagem singular. Também chamado de Parque Golfe, a área recebe a Festa Cerejeira, em julho, e a Festa da Lichia, em dezembro. Várias competições de golfe são realizadas no local._x000D_
A pesca esportiva também leva muitos visitantes a Carlópolis. No mês de março, centenas de turistas, principalmente do norte paranaense e do sudoeste de São Paulo, chegam à cidade para participar do evento Pescar, a sigla de Pesca Esportiva de Carlópolis.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.