Dermatologista faz muito sucesso com transplante capilar

A procura vem aumentando principalmente entre o público feminino

Mariana Magalhães Soares Ximenes é médica dermatologista formada pela Unesc (Universidade do Extremo Sul Catarinense), de Criciúma, Santa Catarina. Ela, que trabalha em Santo Antônio da Platina e Jacarezinho, tem feito procedimentos de transplante capilar  inclusive em outros estados, como São Paulo e Espírito Santos.

Abaixo, explica através do Npdiario mais detalhes:

A técnica do transplante capilar é antiga e no Brasil vem sendo feita desde a década de 80, mas não tão difundida como é hoje, uma vez que a técnica vem sendo aperfeiçoada a cada dia mais. Há dois anos iniciei minha especialização na área e venho atuando na cidade de São Paulo e com extensão agora para Santo Antônio da Platina.

Mas, afinal o que é um transplante capilar? Consiste na técnica cirúrgica de retirar fios de cabelo da região occipital (nuca) e implantá-los na região frontal (frente, “entradas”) por exemplo. É uma técnica que apesar de complexa, apresenta resultados muito satisfatórios.

Atualmente o grande público alvo é o masculino (80% aproximadamente), mas a procura das mulheres vem aumentando cada vez mais devido a possibilidade de poder corrigir pequenos defeitos que as incomodam. A grande indicação do procedimento são as alopecias, principalmente a androgenética (o próprio nome já diz – vem da genética, sendo assim, o curso da doença não pode ser revertido, mas pode ser controlado).

A partir de que idade? Idealmente a partir dos 25 anos. Não existe um protocolo que defina exatamente a idade certa. Todos os casos devem ser avaliados e discutidos entre o médico e o paciente.

Mas por que cabelo da nuca? Os fios de cabelo dessa região não sofrem efeitos hormonais como ocorre nos fios de cabelo da região frontal e vértex (coroa). Existe uma classificação das alopecias e é com base nela que classificamos o paciente e decidimos quantos fios ou unidades foliculares iremos transplantar.

O procedimento é realizado em um local com condições necessárias ao ato, podendo ser em centro cirúrgico ou clinicas com minicentro cirúrgico devidamente habilitadas. A cirurgia dura em torno 6-8 horas, o paciente é sedado e anestesiado para não sentir dor.

Como funciona o pós procedimento? Os fios transplantados na área receptora devem ter alguns cuidados específicos até sua devida fixação. Estima-se que cerca de 85% dos fios transplantados sobrevivem. O resultado final o paciente percebe com 1 ano. Os fios transplantados não caem, eles são duradouros, sofrendo efeitos apenas do próprio envelhecimento, porém é importante lembrar que na região em que foi efetuado a cirurgia, contem fios que ainda não sofreram ou pouco sofreram a ação hormonal e para que o resultado seja bom, o paciente deve fazer um tratamento clinico medicamentoso por tempo indeterminado.

Apenas uma sessão de transplante é necessária? A resposta é depende. Tem paciente que haverá a necessidade de mais uma sessão após 1 ano por exemplo. Isso acontece porque o paciente procura o transplante em um processo de calvície mais avançado, ficando inviável resolver em uma única sessão.

Falando um pouco sobre a técnica, atualmente, a mais divulgada e realizada é a fue (folicular unit extraction ). Como isso funciona? Os fios são retirados um a um e transplantados um a um. Qual o benefício? Os fios transplantados não ficam com aspecto de “cabelo de boneca”, conseguimos uma maior densidade capilar, não há o efeito inestético da técnica anterior que é a cicatriz em “sorriso” na região da nuca, além de promover uma rápida e menos dor no pós operatório.

Para finalizar, a chave do sucesso é uma boa avaliação e decisão em conjunto ao que o paciente objetiva.

A ROFISSIONAL ATENDE NA MEDCLÍNICA, NO TELEFONE (43) 3534- 7404, NA AVENIDA OLIVEIRA MOTTA,1326, CENTRO DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA.

 

Você terminou a leitura
Compartilhar essa notícia
Escrever um comentário

Últimas notícias

Operação conjunta desmantela bando
2 horas atrás

Nesta segunda-feira em Santo Antônio da Platina Na manhã desta segunda-feira (08) equipes das Polícias

Pro Tork no pódio no Argentino/Motocross
4 horas atrás

Quinta etapa da temporada aconteceu no fim de semana Jose Felipe levou a Pro Tork

Ficafé 2022 será em outubro de forma híbrida em Jacaré
7 horas atrás

Com conteúdos presenciais no Centro de Eventos de Jacarezinho e transmissão online   A 15ª

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.