Educom passa a ser Lei em Andirá

A Câmara Municipal de Andirá aprovou nesta quarta-feira, dia 23, em sessão extraordinária, o Projeto de Lei 21/2016, criando em âmbito inter-secretarial o Programa “Educomunicação em Políticas Públicas”. O evento foi acompanhado por representantes de vários setores do público municipal que lotaram a casa de leis para apreciação da pauta que torna o município de Andirá o primeiro do estado a institucionalizar a Educomunicação.

Sob o comando do jornalista e secretário municipal de Comunicação Social, Tiago Silvio Dedoné, o projeto está sendo implantado desde o início de 2015, quando assumiu e redirecionou a ótica de ação da pasta, inserindo a teoria da educomunicação no cronograma de planejamento estratégico. “A missão era promover uma ruptura de paradigma discursivo da secretaria, redirecionando a missão que antes era apenas de divulgar atos oficiais, mas, também, reconhecendo o papel estratégico da comunicação pública no âmbito da ampliação e enriquecimentos dos ambientes comunicacionais”, destacou Dedoné.
Além do renorteamento de visão da secretaria, ele também promoveu uma capacitação continuada com o tema “Educomunicação: Fundamentos, Áreas e Metodologias”, com o intuito ampliar debates e levar aos servidores públicos do município, conhecimentos sobre práticas educativas em comunicação, educação para os meios, mediações tecnológicas, gestão da comunicação nos espaços públicos, artes e comunicação, entre outros temas ministrados por palestrantes renomados que estiveram em Andirá para os debates, entre os quais, os jornalistas e apresentadores de TV Alberto D´Angele (RPC) e Barbosa Neto (RIC – Record) e a ex – ministra do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Márcia Lopes.
O Projeto de Lei encaminhado à câmara e aprovado nesta quarta-feira converge várias áreas, propondo ferramentas e ações de comunicação nas secretarias de Ação Social (CRAS, CREAS, Projeto Esperança, Centro de Convivência dos Idosos, Casa Lar, Casa dos Idosos, Coordenadoria Municipal de Juventude), Educação e Cultura(Centros de Educação Infantil e Escolas Municipais), Esporte (Projetos Sociais), Agricultura e Meio Ambiente (Educomunicação Socio Ambiental), Administração (RH), Assuntos Governamentais, Saúde (UBS, Vigilância Epidemiológica e de Endemias, entre outros setores); buscando a ampliação do ecossistema comunicacional por meio de produções de rádio, jornal, audiovisual, fotografia e outras ferramentas. “Isso com subsidio da assessoria técnica da Secretaria de Comunicação e a formação continuada dos profissionais das diversas áreas, durante os módulos, para que possam atuar e aplicar a educomunicação”, disse.
Ao ser transformado em lei, a Educomunicação passa a ser uma política contínua a ser desenvolvida tanto na rede municipal de ensino fundamental quanto nos espaços sob a responsabilidade das outras secretarias de governo.
O projeto foi aprovado por unanimidade e segue, agora, para sansão do chefe do executivo.
Os profissionais das secretarias do governo já estão se preparando para dar início a mais um ciclo de capacitação continuada em educomunicação, que inicia-se na próxima quarta-feira, dia 30. Agora, nesta segunda fase e contando com dez módulos, o curso versa sob oficinas práticas.mer1

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.