Contrato rompido por deficiência em atendimento

A prefeita de Abatiá Maria de Lourdes Yamagami publicou em diário oficial a rescisão de contrato com a empresa que prestava serviço de atendimento no Pronto Socorro Municipal.
Segundo o decreto publicado em nesta terça-feira, dia 19, dentre os atos considerados que ocasionaram o cancelamento do contrato estão: a falta de médico plantonista na unidade de atendimento, a deficiência no atendimento médico, o comprometimento da regularidade de funcionamento do pronto-socorro, risco de dano à integridade dos usuários pela ausência de médico, violação de cláusulas do contrato de prestação de serviço e decisão proferida em procedimento administrativo, do qual a empresa teve direito a defesa.

Você terminou a leitura, navegue pelas nossas notícias a seguir

Categorias e tags

Compartilhar essa notícia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Share on whatsapp

Siga-nos

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.