Toda greve é só por dinheiro, diz Tomate

Antônio Carlos de Almeida(foto), o popular Tomate, chefia o Hemocentro de Jacarezinho e também dirigiu a Regional da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social,também em Jacarezinho.Ele escreveu um texto, transcrito abaixo na íntegra, no qual expõe sua opinião sobre a controversa invasão/ocupação de estabelecimentos de ensino no Paraná:
A outra face da Baderna

Ética. Esta talvez devesse ser um das principais qualidades do homem público, e somados a ela, por consequência, teríamos o respeito e a consideração. O que estamos vendo nestas invasões de escolas, ou como preferem dizer, “ocupações”, nada mais são do que alunos que nem sabem o que reivindicam, incitados por professores que se preocupam com teto salarial, o qual acreditam que na vida de funcionários público deveriam tornar-se ricos com aumentos anuais que nem mesmo o setor privado tem acesso. Já pararam para pensar que toda greve é sobre dinheiro?

Tais professores que incitam os alunos nessas ocupações são ligados a sindicatos, que por sua vez teimam em defender apenas um ponto de vista, sem observar o todo, em observar a situação do nosso País, acreditando que a fonte nunca se esgota, que a crise não é para eles e que as medidas de contenção de gastos são apenas para as outras áreas, tornam-se assim animais peçonhentos, aves de rapina, predadores do relacionamento sadio.
Com certeza essa manipulação a qual os jovens estão sendo influenciados deve ser revista. Os poucos que argumentei o porquê das invasões não souberam responder e outros apenas diziam que eram contra “a tal PEC” que nem sequer leram. Será que não seria papel dos professores ensinar os alunos a lerem e interpretarem os textos? Ou preferem apenas que suas ideias se destaquem sem deixar que os alunos decidam por si só? Não é contraditório? E ainda querem aumento. Quem perde com tudo isso são os próprios alunos, ninguém ganha nada.
Passamos recentemente por uma era de idealizações sem fim e por um tempo iremos carregar esse fardo. Quem pudera esses tais líderes sindicais pudessem serem julgados, sofrendo com isso as penas da lei. Infelizmente, ganância não é crime. Ver professores sem ética, descompromissados com o ensino e comprometido com a baderna generalizada, é lamentável.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.