Renda e emprego com papel e peixe

Cooperativa faz parcerias e oferece produtos com beleza e sustentabilidade

Maria das Graças Santiago de Moura Rosa,  a simpática presidente da Cooperativa das Trabalhadoras Autônomas da Pesca e Acessórios Artesanais e seu marido, Nelson Rosa, estão animados  com a situação em que a entidade se encontra.

A COPESCARTE foi constituída em agosto de 2006. Informalmente desempenhava atividades de qualificação profissional junto às cooperadas com ajuda mútua das mulheres marisqueiras ou pescadoras em Antonina, litoral paranaense.
Preocupadas com questões da gestão de resíduos sólidos, líquidos e orgânicos, com a falta de oportunidades de trabalho e renda, aliadas à baixa escolaridade e qualificação profissional, decidiram formalizar o grupo e, consequentemente, a cooperativa.
Em 2018, aconteceu a oportunidade da transferência para o município de Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro. Com o apoio da administração pública local, por meio do prefeito Professor Zezão, em dezembro de 2018, através do Decreto Municipal n.º 433/18, foi outorgada a permissão de uso de imóvel público (barracão) com pouco mais de 500 m2, localizado no Povoado rural da Platina(fotos), distante cerca de 8 km do centro da cidade, região marcada pela passagem da estrada de ferro e da estação que originou o Município.

Hoje, numa parceria com a cooperativa de crédito Sicredi, a equipe adquire couros de tilápia, tinge e, artesanalmente, faz bolsas, brincos, chaveiros etc. E também recebe do Sicredi papéis fragmentados que são transformados em diversos itens, sendo o mais curioso a transformação em papel-semente.

O Papel Semente é um produto sustentável que impressiona por sua incrível utilidade e consciência ecológica. Seu principal objetivo é contribuir para uma sociedade consciente de suas responsabilidades sociais e ambientais.

Depois de utilizado, pode ser plantado. Assim, algo que viraria lixo, se transforma em vida. Para deixar tudo ainda mais especial, esse papel é feito na cooperativa Copescarte que transforma a história de muitas pessoas diariamente.

As folhas de papel ou Folha-Semear  são 100% biodegradáveis e a produção é feita de maneira artesanal. Durante o processo de produção são inseridas sementes na composição do papel. Dessa maneira, por exemplo, rúculas são produzidas de algo que iria para o lixo.

O PAPEL SEMENTE -A partir dos papeis gerados nos processos operacionais nas unidades do Sicredi Norte Sul PR/SP e que normalmente seriam descartados para reciclagem, sem processamento, a COPESCARTE os recebe e transforma em papel semente.
No processo de reciclagem do papel são inseridas sementes de hortaliças, de grama, de flores, de ervas medicinais… Sob demanda do cliente são produzidos cartões de visitas, folders, catálogos, convites, sacolas com ou sem alça, caixas para biojoias, envelopes.

Tratam-se de produtos ideais para serem associados a empresas que promovem eventos, ações promocionais, venda de artigos de vestuário e que se identifiquem com a construção da sociedade consciente da sua responsabilidade ambiental.

Pode ser comercializado com ou sem impressão. O tamanho mais utilizado para as folhas é do formato A4, com gramatura variando entre 120 e 300 g/m2.
A flexibilidade do processo produtivo, aliada ao compromisso de satisfação das necessidades do cliente, permite a combinação de inúmeras opções de tamanhos e cores.

MULTIPLICIDADE DE APROVEITAMENTO DO PEIXE – Além do filé e da pele, os resíduos de filetagem podem ser aproveitados se aplicadas técnicas disponíveis para transformação em silagem, compostagem, ração e outros. As escamas podem ser utilizadas para artesanatos, confeccionando flores, bordados, quadros, bijuterias. Com o couro se produz mantas, peças de vestuários e acessórios, como bolsas e calçados.
O processo da transformação da pele em couro consiste em modificar a pele verde em material estável e imputrescível. Está dividido em quatro grupos de etapas:
1) ribeira,
2) curtimento,
3) recurtimento e
4) acabamento.
A ribeira tem como função limpar, eliminar sujeira, sangue e gordura, além de hidratar e depilar a pele, para processos convencionais onde a escama é removida. O curtimento e recurtimento promovem a estabilização e a fixação do agente curtente na estrutura da pele, que a partir desta etapa é denominada de couro.
Na região de atuação da COPESCARTE existem criatórios de tilápias em cativeiro. São tanques-rede instalados às margens do Rio Paranapanema ou em tanques escavados. Frigorífico “AMIGOS DO PEIXE”, instalado no Bairro Rural Água da Areia em Santo Antônio da Platina parceiro, com capacidade de processamento instalada
superior a dez toneladas de peixe por semana, justifica a implantação do projeto e garante sua sustentabilidade.

A parceria estabelece o repasse das peles, com o custo do transporte apenas.
Aquilo que antes era um passivo ambiental ao frigorífico, pois seu aterramento resolvia um
problema imediato, torna-se matéria-prima de qualidade singular.

Em maio de 2020  foi sancionada a Lei Municipal n.º 1.850/20 declarando de utilidade pública e, em 6 de abril de 2021, através da Lei Estadual n.º 20.524, por meio do deputado Luiz Cláudio Romanelli, reconhecida como entidade de utilidade pública estadual. No mesmo ano, em agosto, Lei Municipal n.º 1.870/20 concedeu o direito real de uso do barracão pelo prazo de dez anos, prorrogáveis.
No ano de 2019, o Conselho Municipal do Meio Ambiente de Santo Antônio da Platina deliberou e aprovou o uso de parte dos recursos financeiros do Fundo Municipal do Meio Ambiente para aquisição de equipamento de filtragem da água que é utilizada no processo produtivo. Este equipamento exclusivo, projetado e fabricado sob demanda da Copescarte, permite o reuso da água no processo. O eventual descarte de parte da água acontece em fossa séptica ou na rede pluvial, sem causar dano ambiental.

São ações resumidas e que não se esgotam numa só reportagem, demonstrando o alinhamento do poder público local com os objetivos sociais estatutários. Trata-se de relação de iniciativa social que encontrou apoio e incentivo para mudar a realidade de algumas mulheres e suas respectivas famílias, impactando nos indicadores sociais e econômicos locais.

MULHERES Possibilitar a oportunidade das mulheres participarem da busca de condição socioeconômica mais justa, com o desenvolvimento local das pessoas, construindo e consolidando suas identidades e liberdade econômica. A crença no potencial que cada mulher possui em aprender, trabalhar e melhorar sua condição de vida são preceitos que norteiam as ações da COPESCARTE.
O maior desafio hoje está em conciliar aprendizado, produtividade, gestão e comercialização das peles. Já registra resultados significativos no aumento da autoestima das cooperadas, no entendimento do contexto em que se inserem e como podem contribuir para alterar o cenário local.
O artigo 2.º de seu Estatuto Social prevê o fomento ao associativismo e cooperativismo. Mais que isso, tem a pretensão de provocar impactos positivos nos indicadores sociais e ambientais, a partir das famílias do Povoado da Platina.

Além da oportunidade de trabalho e geração de renda para as mulheres, a COPESCARTE objetiva:
 Melhorar a qualidade de vida de suas cooperadas;
 Sensibilizar as pessoas para a importância do associativismo e cooperativismo;
 Convergir o interesse das cooperadas, proporcionando treinamento, capacitações e
condições para exercício de atividades profissionais;
 Desenvolver tecnologias alternativas para produção artesanal de biojoias, acessórios e artigos de vestuário em couro, como estratégia para prevenção e manutenção da saúde mental;
 Potencializar e incentivar as cooperadas na busca pelos direitos básicos e essenciais à dignidade, como saúde, educação, lazer e moradia;
 Promover atividades sociais e educacionais que contribuam para melhoria do nível
educacional e profissional das cooperadas e da comunidade, reforçando os laços de
solidariedade e cidadania em seu sentido constitucional e social.

Tem na mulher seu foco. Amplamente discutido, seu papel é fundamental na manutenção da família, da casa e, consequentemente, da sociedade organizada e ordeira de forma ampla.
Estudos relatam que cerca de 66% de todo trabalho é desempenhado por mulheres. O Banco Mundial, a ONU, o Monitor do Empreendedorismo Global, a Deloitte e a Ernest & Young demonstram que as mulheres são, de fato, grandes motores da economia global enquanto líderes empresariais, profissionais, consumidoras e empreendedoras. Quando elas são foco de decisões empresariais a comunidade cresce em seu entorno.

PERSPECTIVAS COMERCIAIS – Os principais países importadores de couro de peixe são a França, Itália e Japão. Nestes mercados, o couro de animais exóticos garante seu lugar, principalmente, para confecção de calçados, bolsas e acessórios em geral.
De forma incipiente e com a intenção de promover treinamento das cooperadas, a entidade produziu e comercializou localmente bolsas, carteiras, brincos e colares em couro, permitindo receita financeira que mitigou as necessidades das cooperadas em alguns momentos. Longe de cobrir as despesas mínimas da cooperativa, foram suficientes para alicerçar e estimular a continuidade do projeto (Colaboração: Marcelo Siqueira).

FOTOS: EMERSON CHAGAS/ESPECIAL PARA  O NPDIARIO

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.