Flávio Arns propõe Dia Nacional de Prevenção da Asfixia Perinatal

Senador afirma ser importante a criação desta data como forma de conscientizar e prevenir novos casos

Atendendo a pedidos da sociedade e com o objetivo de prevenir e alertar mães em todo o Brasil, o senador Flávio Arns (Podemos/PR) apresentou nesta semana o Projeto de Lei 5034/2020 que estabelece a data de 25 de setembro como o Dia Nacional de Prevenção da Asfixia Perinatal.

A asfixia perinatal é uma complicação que pode ocorrer durante o trabalho de parto ou logo após o nascimento do bebê, causando diminuição de oxigênio no sangue do feto ou do recém-nascido. A situação pode causar lesão neurológica, caracterizando a Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica (EHI).

A Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica gera no recém-nascido sequelas com diversos graus de perda motora ou sensorial e de anormalidade na função cognitiva. No Brasil, estima-se que 15 mil a 20 mil bebês nascem, a cada ano, com encefalopatia hipóxico-isquêmica.

Segundo Arns, é importante a criação desta data como forma de conscientizar e prevenir novos casos. “É um dia para discutirmos, refletirmos, construirmos caminhos e alternativas para promover a saúde das crianças e apoiar as famílias para que os seus filhos tenham sempre mais dignidade através da saúde plena”, ressaltou Arns.

Na justificativa do projeto, o senador ainda lembra que o investimento de recursos para evitar a Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica (EHI), ou diminuir os efeitos negativos, é mais baixo do que comparado aos cuidados necessários para o atendimento das pessoas com EHI. “É muito importante que o conjunto da sociedade exija do Estado os investimentos compatíveis com a gravidade do problema”, afirmou.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.