Escolas da rede estadual iniciam reposição

Os alunos da rede estadual voltaram à rotina escolar nesta segunda-feira, dia primeiro, em 60% das escolas estaduais para a reposição do calendário escolar de 2015. Com a paralisação dos professores, apenas 40% das 2.100 escolas conseguiram terminar o ano letivo em dezembro. Para as escolas que concluíram todas as atividades em 2015, as aulas iniciam apenas no dia 29, quando começa o calendário unificado de 2016.
Devido à continuação das reposições, que começou no ano passado com aulas aos sábados e com a sexta aula, o calendário escolar para 2016 foi elaborado de acordo com as demandas de cada região, já que durante a greve algumas escolas continuaram funcionando normal ou parcialmente. “O calendário deste ano foi elaborado em conjunto com os Núcleos Regionais de Educação para que as escolas tenham o tempo necessário para trabalhar todos os conteúdos previstos e para que os alunos não tenham prejuízo pedagógico”, lembrou a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres.
Cada escola elaborou o planejamento para a reposição, foram quase 50 somando as duas paralisações. Em Curitiba, os professores do Instituto de Educação Erasmo Pilotto, na região central da cidade, se reuniram logo após o término da paralisação para elaborar a melhor maneira de organizar a reposição.
Para os estudantes do terceiro ano, que iriam concluir o ensino médio, o colégio aderiu à sexta aula somadas às atividades aos sábados. Tudo para garantir que os estudantes concluíssem o ensino médio a tempo de fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e vestibulares.
Para os cerca de 1 mil estudantes que tiveram que continuar a reposição os professores elaboraram atividades dinâmicas para facilitar a conclusão do calendário escolar. “O planejamento foi pensado com uma didática mais dinâmica para que os alunos não se sentissem cansados, uma vez que estamos iniciando as atividades pedagógicas com conteúdos do ano passado”, explicou a professora de trabalho pedagógico na educação infantil, Gilvana Ribeiro.
Além do calendário escolar, o Governo do Estado também tomou uma série de medidas para que a reposição ocorra sem nenhum imprevisto. Foram repassados R$ 18 milhões, por meio de cotas extras, para auxiliar os municípios com os custos com o transporte escolar nesse período de reposição. Todas as escolas que irão fazer as atividades adicionais possuem merenda suficiente para servir todas as refeições durante o período escolar.
Os colégios também estão com o quadro de funcionário completo. “Essas ações garantem a tranquilidade para que os professores possam trabalhar e para que possamos começar o ano letivo de 2016 dentro da normalidade”, frisou Ana Seres.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.