Tomazina esclarece sobre reajuste do Piso Salarial do Magistério

O prefeito de Tomazina Flavio Zanrosso, e a secretária municipal de Educação, Cínthia Chueire, divulgaram o seguinte Comunicado para a população:

Esclarecimento sobre do Reajuste Piso Salarial do Magistério.

Primeiramente, esclarecemos que abominamos posturas de “politicagem”, primando pela lealdade à verdade, transparência e legalidade.

Em Tomazina Educação é prioridade absoluta! Possuímos uma média, aproximada, de 01 professor para 09 alunos, além de um número considerável de demais servidores, de modo a garantir melhores condições de trabalho e, sobretudo, qualidade de Educação. Por isso, o valor proveniente do FUNDEB, no nosso município, não é suficiente para cobrir a folha de pagamento, sendo necessária a utilização de recursos livres para a devida complementação. Essa é a nossa realidade, da qual a atual gestão não abre mão!

Pois bem, através da Portaria nº 67/2022 – MEC, estabeleceu-se como novo piso salarial aos profissionais do magistério, com jornada de trabalho de 20 horas semanais, o valor de R$ 1.922,82. Tal Portaria baseia-se na Lei nº 11.494/2007, REVOGADA pela Lei nº 14.113/2020.

Havendo um vácuo normativo, como o que existe, o mesmo precisa ser corrigido através de edição de Lei (art. 212-A, XII, da CF), jamais por meio de Portaria, que é norma infra-legal, a qual, com todo respeito, no presente cenário, desmerece os deveres da República, é inconstitucional e desrespeita a autonomia municipal, a legalidade estrita e a reserva de lei. É Portaria de promessa vazia!

E, estando revogada a Lei específica regradora quanto ao valor exato do piso a ser reajustado, para evitar prejuízo aos Professores, conforme estipula o Art. 212-A, XII, da CF, utiliza-se a lei geral disponível, no caso, a Lei nº 7.238/84, que, em seu artigo 1º, diz: “O valor monetário dos salários será corrigido, semestralmente, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC”…

Trata-se de adoção, excepcional, temporária, idônea e responsável pelo município, que não consegue suportar a ilegalidade imposta pela Portaria do MEC.

A Constituição Federal almeja Professores reconhecidos e municipalidade respeitada. É preciso combinar o justo reajuste com o resguardo da autonomia municipal e a sua necessária sustentabilidade financeira.

Assim, aguardando Lei regulamentadora, considerando a realidade do Município, em respeito à Constituição Federal, Legislação vigente e entendimentos pacificados dos Egrégios Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça, readequamos os vencimentos dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de Educação, em 10,8% (INPC), mais 1,2% de reajuste, totalizando em 12% de aumento.

De todo modo, como Tomazina já respeitava o piso anteriormente estipulado, mesmo sendo inconstitucional a Portaria nº 67/2022 – MEC, nossos Professores efetivos, com jornada de 20h semanais, receberão de vencimentos, no mínimo, R$ 503,77 a mais ao valor estipulado na Portaria, mais os proventos aos quais fazem jus e, dependendo da escala em que se encontram, podem chegar a R$ 1.436,07, de diferença superior ao piso da Portaria, fora os proventos.

Sem mais, colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos, reafirmando nosso respeito à classe do Magistério e nosso compromisso com a melhoria crescente da Educação.

 

 

Você terminou a leitura
Compartilhar essa notícia
Categorias e tags
Escrever um comentário

Últimas notícias

Super Fecha Mês só na “Impacto Prime”
22 minutos atrás

Centro automotivo com promoção imbatível Super Fecha Mês na Impacto Prime de Santo Antônio da

Baile de Formatura de administração sábado
1 hora atrás

Evento ocorrerá no próximo sábado (28) É com grande expectativa, que os formandos de Administração

Molini’s promove Festival do Milho
3 horas atrás

Até o próximo domingo em todas as unidades do grupo  

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.