Campanha de inclusão digital para idosos

 Projeto de Lei propõe capacitar idosos para utilização de novas tecnologias da informação

Proposta está tramitando na Assembleia Legislativa do Paraná pretende instituir uma campanha permanente de inclusão digital destinada a idosos. O projeto de lei 421/2021, protocolado pelo deputado Delegado Fernando Martins (PSL), tem entre seus objetivos capacitar idosos, por meio de oficinas de inclusão digital, para utilização de novas tecnologias da informação. Também pretende incentivar a sociedade a estabelecer programas voluntários com o objetivo específico de fortalecer a conexão das pessoas de diferentes gerações, gêneros e culturas e que envolvam a inclusão digital.

O projeto determina ainda que, caso aprovada, a Lei será regulamentada pelo Poder Executivo, buscando o aumento do alcance das ações da campanha. De acordo com o autor, a proposta pretende incluir os idosos nas novas tecnologias da comunicação e informação. “É notório que os desafios impostos à inclusão digital dos idosos são reflexos da revolução tecnológica pela qual o mundo passa nos dias atuais. Nessa perspectiva, sendo a internet um elemento intrínseco ao cotidiano social, é necessário remover os obstáculos que impedem o senso de pertencimento das pessoas idosas à vida moderna”, diz o deputado, na justificativa do projeto.

Segundo o deputado Delegado Fernando Martins, idosos se sentem excluídos do mundo digital e têm dificuldade em ler e escrever. Ele cita a pesquisa “Idosos no Brasil: Vivências, Desafios e Expectativas na Terceira Idade”, que consultou em 2020 um total de 2.369 pessoas com mais de 60 anos, nas cinco regiões do País. Segundo a pesquisa, apesar do aumento dos maiores de 60 anos que disseram ter conhecimento sobre o termo internet (63% em 2006 e 81% em 2020), apenas 19% dos idosos fazem uso efetivo da rede.

O estudo diz ainda que 72% da população da terceira idade nunca utilizou um aplicativo e 62% as redes sociais. “Dessa forma, visto que a integração ao mundo virtual é um direito essencial assegurado pelo Estatuto do Idoso, faz-se necessário o engajamento de toda a sociedade para assegurar a inclusão digital das pessoas idosas no Estado do Paraná”, justifica o parlamentar.

A constitucionalidade da matéria será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia. Caso aprovada, a matéria está apta para ser analisada pelas demais Comissões da casa antes de seguir ao plenário.

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.