“Assim que a gente fechar o ciclo de 60 anos, e eu acredito que até meados de abril vamos vacinar todos os de 60 anos, vamos começar a vacinar os nossos policiais e professores. Isso vai ajudar a gente a voltar, até meados de maio, se Deus quiser, para as salas de aula”, disse Ratinho Junior.

Com o início do ano letivo de 2021, o retorno das aulas presenciais na rede estadual estava previsto para 18 de fevereiro em um modelo híbrido (com a adoção de aulas remotas para parte dos alunos), mas com o avanço da pandemia, a data acabou suspensa. Depois disso, nenhuma outra previsão foi dada pela Secretaria de Estado da Educação (Seed).

A expectativa do governo estadual é vacinar todo o grupo prioritário até o final do mês de maio. Na última atualização do plano estadual de vacinação, estão incluídos 169.057 trabalhadores da educação do Ensino Básico (creche, pré-escola, Ensino Fundamental, Ensino Médio, profissionalizantes e EJA) e da Assistência Social (CRAS, CREAS, Casas/Unidades de Acolhimento) e também 54.110 trabalhadores da educação do Ensino Superior.

Atualmente, no Paraná, a fase é de vacinação de idosos. Mas a data exata de aplicação das doses é definida pelos municípios, a partir dos lotes de vacinas recebidas do governo estadual e do Ministério da Saúde.

Em Curitiba, por exemplo, já há data de vacinação para pessoas com 68 anos de idade completos ou mais. Mas as datas para as demais faixas de idosos – até chegar aos 60 anos completos – só serão divulgadas na medida em que a Secretaria Municipal de Saúde efetivamente receber as doses (Reportagem: Catarina Scortecci – Gazeta do Povo).