Suspensa licitação em Jaboti

Para a gestão de combustíveis de toda a sua frota

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) expediu medida cautelar que suspende a licitação do Município de Jaboti para a contratação de empresa especializada para administrar o fornecimento, gerenciamento e controle de combustível dos veículos da frota municipal. O serviço deve ser prestado por meio da implantação e operação de um sistema informatizado e integrado, com a utilização de cartão de pagamento magnético.

A cautelar foi concedida por despacho do conselheiro Ivens Linhares, e homologada na sessão ordinária nº 9/2021 do Tribunal Pleno do TCE-PR, realizada por videoconferência dois dias depois.

O TCE-PR acatou Representação da Lei nº 8.666/93 (Lei de Licitações e Contratos) formulada pela empresa Prime Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda. em face do Pregão Presencial nº 37/21 do Município de Jaboti. No recurso, a empresa alegou que o edital continha a exigência demasiadamente excessiva e não justificada de que a rede credenciada da contratada contemple 100% dos postos de combustíveis do município.

Linhares afirmou que o edital do pregão não apresenta de forma clara a informação de quantos postos de combustível há no município; e não contém dados e justificativas que permitam identificar esses estabelecimentos e deduzir a efetiva necessidade de que todos os eles sejam credenciados.

O conselheiro explicou que a exigência de que sejam credenciados todos os postos de combustível de Jaboti também parece ser restritiva à competitividade, pois qualquer empresa que não consiga credenciar todos os postos estaria impedida de licitar.

Assim, o relator considerou que o eventual caráter indispensável dessa exigência deve ser exaustivamente demonstrado no processo da licitação e motivado no próprio edital, sob pena de caracterização de restrição indevida à competitividade do certame, vedada pelo artigo 3º, parágrafo 1º, I, da Lei nº 8.666/93

Linhares determinou a citação da prefeitura de Jaboti para que comprove o atendimento da cautelar e apresente defesa no prazo de 15 dias. Os efeitos perduram até que seja tomada decisão de mérito no processo, a não ser que a medida seja revogada antes disso.

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.