Norte Pioneiro: soja rende R$ 1,8 bilhão

Área plantada foi de 171,5 mil hectares (aumento de 3,5% em relação a da safra passada) 

A produção de soja no Norte Pioneiro foi satisfatória nesta safra de 20/21 com boa produtividade e bons preços elevando o VBP (Valor Bruto da Produção Agropecuária) regional. A cultura corresponde ao segundo maior VBP da região só superada pelo Frango de Corte.

O produto está entre os três maiores VBP em 17 dos 23 municípios da regional do Núcleo Regional da Seab em Jacarezinho (Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento) mostrando a sua importância para a economia norte-pioneirense. A informação é do chefe, Fernando E.G. Vieira.

Wenceslau Braz tem a maior área plantada (18,1 mil hectares) seguido de São José da Boa Vista e Cambará.

A área plantada nesta safra foi de 171,5 mil hectares (aumento de 3,5% em relação a área da safra passada) com uma produção de 669.045 toneladas do grão (aumento de 14%) em plena pandemia. Isto mostra a opção dos produtores de substituição das áreas de plantio de milho 1ª safra pela soja e a boa produtividade desta safra.

O rendimento de 3.900 kg/hectare foi favorecido pelas chuvas frequentes acompanhadas de períodos de sol ocorridas neste verão.

O soja renderá cerca de R$ 1,8 bilhão no Norte Pioneiro, dinheiro que circulará na região gerando emprego e renda.

O preço do produto em alta este ano (R$ 163,00/saca atualmente) estimulou a comercialização de 80,7% do total da safra de soja produzida.

Fernando disse ter observado que cooperativas têm ampliado a sua participação na região.

Exemplo recente: CAPAL em Pinhalão e Integrada em Santo Antônio da Platina. “Mas essa instalação de entrepostos receptores de grãos também se verifica em outros municípios como Wenceslau Braz, Carlópolis, Ibaiti entre outros. Penso que a transformação dos grãos produzidos aqui na região em alimento animal (ração) e humano (óleos e subprodutos) agrega valor e é uma boa opção para o desenvolvimento regional”, adiciona o especialista em agropecuária.

Curiosidade: O correto seria escrever e falar ‘‘o soja’’ porque essa planta é uma espécie de feijão, masculino. No entanto falar ‘‘a soja’’ não está totalmente incorreto, porque a pessoa está se referindo como ‘‘a planta soja’’, aí nesse caso é feminino. Assim, ambos podem ser usados.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.