Romanelli e Ricardo Barros discutem novo modelo de pedágio no Paraná

Defendem que os vencedores sejam definidos pelo maior desconto nas tarifas

Os deputados estadual Luiz Cláudio Romanelli (PSB) e federal e líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP) se reuniram (foto), nesta segunda-feira (9) para debater o novo modelo de pedágio a ser implantado no Paraná a partir de 2021, quando vencem os contratos das concessionárias que hoje administram 2,5 mil quilômetros do Anel de Integração. “Há uma sintonia entre os deputados federais e estaduais. Defendemos um modelo de pedágio com tarifas baixas e mais obras”, disse Romanelli.

Pelos estudos do governo federal, o novo pedágio do Paraná englobará 3,8 mil quilômetros de estradas federais e estaduais divididas em oito lotes.

O ponto de debate é como será feita a licitação: a primeira opção, proposta pela União, é uma concorrência híbrida, onde ganha a empresa oferece um desconto pré-fixado e um valor em dinheiro.

Já os deputados estaduais e federais defendem que os vencedores sejam definidos pelo maior desconto nas tarifas. “Não há outro caminho.

Nós queremos tarifas baixas e maior volume de obras, independentemente dos trechos relacionados. Não vamos aceitar a cobrança de outorga, para que a falta de transparência e os erros do passado não se repitam”, reforça Romanelli

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.