Roma mostra posição da sociedade sobre concessões

Ao ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas

O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB) participou nesta quinta-feira (1°), em Curitiba, de uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para debater a proposta da União para a futura concessão de rodovias no Paraná. O parlamentar sustentou que o modelo elaborado pelo Governo Federal não é de interesse dos paranaenses e defendeu a licitação pelo menor preço.

“Nós não queremos o modelo híbrido. Queremos uma licitação pelo menor preço de tarifa”, afirmou o deputado. Segundo ele, está evidente que a concessão que querem impor não interessa ao Paraná. Romanelli destacou que esta constatação é resultado das 10 audiências públicas realizadas pela Frente Parlamentar sobre o Pedágio, criada pela Assembleia Legislativa para ouvir representantes de todas as regiões do Paraná.

Romanelli explicou ao ministro que a iniciativa dos deputados estaduais é para abrir um espaço de debate, onde as posições podem ser expostas de forma objetiva. Ele reforçou que as audiências tem a participação de empresários, lideranças políticas e de segmentos do setor produtivo, além da própria população. “O grande protagonista deste debate não são os deputados, é a sociedade e o setor produtivo do Paraná”, disse.

O deputado também alertou que um terço das rodovias que formam os seis lotes que serão concedidos são estradas estaduais e que não há delegação formal ou autorização da Assembleia Legislativa para que os trechos sejam concedidos.

O Primeiro secretário da Alep explicou que a posição da Assembleia é votar uma lei que permita a concessão, desde que o critério seja a menor tarifa. “Ninguém tem posição intransigente, mas nossa defesa é por um leilão pelo menor preço e com garantia de execução das obras”, afirmou.

G7 – A reunião com o ministro Tarcísio de Freitas serviu para que as entidades que formam o G7, grupo de entidades que representam o setor produtivo do Paraná, entregasse um documento ao ministro. Dividido em seis pontos, a posição dos empresários, entre outros pontos, é de que o leilão de rodovias seja realizado pelo menor preço, posição semelhante à dos deputados estaduais e sociedade civil organizada.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.