Nova ponte sobre Rio das Cinzas

A nova ponte sobre o Rio das Cinzas, entre Bandeirantes e Itambaracá, já está com toda a parte estrutural pronta. A obra já atingiu 85% de execução. O Governo do Estado investe R$ 15,1 milhões na construção da ponte, que irá beneficiar 40 mil moradores da região.
Nesta terça-feira (22) foi concretada a quarta laje, de um total de seis vãos que a nova ponte terá. O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) coordena e fiscaliza a execução dos trabalhos. Até o fim desta semana outra importante fase da obra terá início.
SEM RISCOS – Os serviços de terraplanagem vão começar a ser feitos do lado de Itambaracá. Será construído o aterro que ligará a rodovia PR-436 até a cabeceira da ponte. “Esta é uma importante obra para a região, pois diminui as distâncias entre as cidades. A nova ponte é mais alta e reforçada que a antiga, com isso não haverá risco de as águas do Rio das Cinzas passarem por cima da rodovia em épocas de cheias”, explicou o diretor-geral do DER, Nelson Leal Junior.
Na próxima semana será concretada a quinta laje e no início de dezembro será feita a última laje. Para a execução destes serviços é utilizado um equipamento de bombeamento de concreto, chamado de “bomba lança”. A máquina tem capacidade para atingir até 36 metros de altura. Isso deixa o serviço mais rápido, porque diminui o esforço braçal dos funcionários. Os caminhões betoneiras com concreto encostam do lado da máquina e o concreto é lançado diretamente na ponte. O equipamento é operado por controle remoto e tem maior capacidade de lançar concreto para as lajes.
CHUVAS – A construção da nova ponte foi necessária após a antiga ter sido destruída em decorrência das fortes chuvas nos primeiros meses do ano. Para que o problema não se repita, a estrutura da nova ponte é reforçada. Na obra inteira estão sendo usados aproximadamente 120 toneladas de ferro e 1.500 metros cúbicos de concreto.
Além disso, a nova ponte será maior, com cinco metros de altura, 210 metros de extensão e 12,80 metros de largura, eliminando as possibilidades das cheias do Rio das Cinzas de invadir a rodovia. Serão duas faixas de circulação e acostamento nos dois sentidos. Ao todo haverá 80 estacas, com 15 metros de profundidade e dez pilares no rio.
FAVORECER – O vendedor Aguinaldo Aparecido Pereira, 45 anos, acredita que a nova ponte irá resolver de vez os problemas de travessia entre Bandeirantes e Itambaracá. “Para a gente que trabalha com vendas vai favorecer muito, porque dar a volta por Andirá é muito longe, gasta muito combustível e tempo. A ponte antiga era baixa e a chuva acabou derrubando. Agora com essa nova ponte não vai ter mais este problema, ela ficou bem alta”, afirmou Pereira.
A estrutura deve ser liberada para o tráfego até o final do mês de fevereiro de 2017, caso as condições climáticas permitam. A previsão de término da obra era para o fim deste ano, mas o excesso de chuvas entre maio e junho e entre os meses de agosto e setembro atrasou a execução da obra.
O rio subiu muito com as chuvas e em praticamente dois meses os trabalhos tiveram um ritmo mais lento. Durante cerca de 40 dias não foi possível trabalhar na ponte por causa do nível elevado do rio, por isso o cronograma precisou ser reformulado.
BALSA – Enquanto são executadas as obras na ponte, a travessia entre as cidades de Bandeirantes e Itambaracá é feita por uma balsa contratada pelo DER. Por dia, mais de 1.200 veículos que circulam pela PR-436 utilizam o serviço.
A embarcação funciona todos os dias das 6h às 19h e tem capacidade para o transporte de até 12 veículos leves ou dois caminhões trucados e mais 30 passageiros. Caminhões, carros, motos e pedestres não pagam tarifa pela travessia.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.