PR é o segundo estado mais competitivo do país

O Paraná é o segundo estado mais competitivo do Brasil, de acordo com ranking publicado neste fim de semana pela revista Veja. O levantamento mede o ambiente de negócios e competitividade por investimentos no país. No ranking geral, o Paraná tem nota 80, atrás apenas de São Paulo, que recebeu nota 90.
O estudo foi elaborado pelo Centro de Liderança Pública, em parceria com a consultoria Tendências e com a Economist Intelligence Unit, a divisão de pesquisas e análises do mesmo grupo que edita a revista The Economist. “São indicadores confiáveis e bem apurados que mostram que estamos no caminho certo para garantir o progresso cada vez mais intenso e garantir o desenvolvimento econômico e social do Paraná”, disse o governador Beto Richa.
Foram analisadas todas as unidades da federação de acordo com 64 indicadores em 10 pilares considerados essenciais para o bom ambiente de negócios: potencial de mercado, infraestrutura, capital humano, educação, sustentabilidade social, segurança pública, sustentabilidade fiscal, eficiência da máquina pública, inovação e sustentabilidade ambiental.
“Esse segundo lugar tem um gostinho de primeiro, afinal todos reconhecem que São Paulo é um Estado com a força de um País”, afirmou o governador. Richa atribuiu o bom desempenho ao trabalho de planejamento do governo e esforço do trabalho dos paranaenses. “São indicadores importantes que nos orgulham e atestam o nosso trabalho”, disse.
Além da competitividade, o governador citou outro levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que diz que o Paraná ultrapassou o Rio Grande do Sul e já é a quarta maior economia do País. Ele afirmou que o Paraná passa hoje pelo maior ciclo industrial da história. “Isso é resultado do novo jeito de governar, pautado pelo diálogo, segurança jurídica, estabilidade política e bons programas”, disse o governador.
PARANÁ COMPETITIVO – Ele citou como exemplo o Paraná Competitivo, programa estadual que concede diversos incentivos para atração e ampliação de investimentos privados. Em cinco anos, o Estado atraiu aportes de mais de R$ 40 bilhões e gerou milhares de empregos. “Não é à toa que alguns dos mais destacados investimentos feitos nos últimos anos ocorreram nessas regiões (Sul e Sudeste). O dinheiro busca tranquilidade e certezas”, afirma a revista Veja.
A pontuação é de 0 a 100 e, quanto maior, melhor posicionado o Estado. Além do Paraná e São Paulo, o ranking aponta ainda na liderança os estados de Santa Catarina (3.º lugar – 77 pontos), Distrito Federal (4.º lugar – 70 pontos), Rio Grande do Sul e Minas Gerais (5.º lugar – 68 pontos), Espírito Santo (7.º lugar – 67 pontos), Rio de Janeiro (8.º lugar – 66 pontos), Mato Grosso do Sul (9.º lugar – 64 pontos), e Goiás (10.º lugar – 59 pontos). A publicação mostra que na média geral dos estados, em uma escala de 0 a 100, o Brasil tem nota 37.
SEGURANÇA – Em todos os indicadores pesquisados, o Estado do Paraná registrou notas acima da média nacional. O destaque principal foi na segurança pública com o primeiro lugar.
O Paraná recebeu nota 100 no quesito, enquanto o segundo colocado São Paulo recebeu nota 94 e o terceiro colocado, Santa Catarina, recebeu 92. “Uma importante nota que nos motiva e mostra que estamos no caminho certo. Na nossa gestão, estamos contratando 10 mil policiais para intensificar a segurança dos paranaenses”, afirmou Richa. Ele citou ainda a compra de 1,56 mil viaturas policiais. A média nacional em segurança pública foi de apenas 67.
OUTROS DESTAQUES – Além da segurança, o Paraná recebeu excelentes notas em infraestrutura, educação e solidez das finanças públicas. “Fizemos um grande ajuste fiscal que colocou o Paraná com uma das melhores situações fiscais do Brasil. Fomos o primeiro a fazer esse ajuste e o primeiro a sair dessa grave crise econômica nacional”, afirmou Richa.
Na educação, o Paraná ficou em terceiro colocado, com nota 85. A média nacional foi de apenas 54. “Educação é nossa prioridade absoluta. Prova disso, é que investimentos 34% do orçamento na área. Valor superior ao que determina a lei”, disse. Ele citou avanços na área como aumento de 80% aos professores e melhoria nas escolas, transporte escolar e qualidade da merenda. Em infraestrutura, o estado ficou atrás apenas dos paulistas com nota 72. Os dados estão disponíveis no site www.rankingdecompetitividade.org.br.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.