NP define estratégias para potencializar setor de alimentos e bebidas

Comitê Territorial trabalha no planejamento estratégico e detalhamento de ações para segmento  

O Comitê Territorial do Norte Pioneiro do Paraná tem concentrado esforços na elaboração de um planejamento estratégico para alavancar o desenvolvimento e fomentar a economia da região por meio do setor de alimentos e bebidas, nos próximos dez anos. As ações, de curto, médio e longo prazo têm sido elaboradas em diferentes eixos de atuação, que englobam a cadeia produtiva. No próximo dia 10, o Comitê, formado por aproximadamente 25 entidades, vai detalhar o plano.

O consultor do Sebrae/PR, em Jacarezinho, Odemir Capello, diz que o objetivo é fazer da região uma referência na produção de alimentos e bebidas no Paraná e no Brasil. “Hoje, o setor representa em torno de 60% do PIB do Norte Pioneiro”, aponta. O trabalho será voltado não só para a produção in natura e industrialização de alimentos e bebidas, mas também para pesquisa e inovação, mercado e logística, profissionalização, empreendedorismo, capital, e políticas públicas.

Para cada um dos eixos de desenvolvimento foi elencada uma série de iniciativas. Segundo Capello, as entidades do Comitê Territorial – órgãos públicos, instituições de ensino, prefeituras, associações, cooperativas, empresas – formam a governança que, após a conclusão do planejamento, vai se reunir periodicamente para articular as estratégias e garantir o cumprimento das ações. O grupo estuda as potencialidades do setor no Norte Pioneiro desde junho de 2017.

O chefe do núcleo da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab) no Norte Pioneiro, Fernando Emmanuel Gonçalves Vieira (foto), lembra que a região aparece em quinto lugar em Valor Bruto de Produção (VBP) no Estado, mas possui dificuldades para agregar valor aos produtos. “Hoje, eles são vendidos e industrializados em outros locais”, aponta.

                                             

Para ele, é preciso organizar os produtores em associações e cooperativas para a criação de agroindústrias e verticalização da produção rural. “A industrialização gera desenvolvimento, melhores salários, aumento de renda e do PIB”, justifica.

Na avaliação do gerente regional da Emater em Santo Antônio da Platina, Maurício Castro Alves, é necessário dar mais dinamismo ao processo de agroindustrialização no Norte Pioneiro. Isso será possível segundo ele, com a diminuição da burocracia, regulamentação das agroindústrias existentes, promoção do acesso a crédito e orientação sobre a legislação vigente. Alves ressalta que tais ações exigem a articulação de várias instituições. “Por isso, o planejamento é muito importante, prioritário e estratégico para a região”, avalia.

O pró-reitor de Planejamento e Avaliação Institucional da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp), Bruno Ambrózio Galindo, assinala que a entidade pretende levar em consideração o setor na hora de abrir novos cursos de graduação e criar pesquisas de extensão. Segundo ele, a Uenp também pode contribuir na prestação de serviços para indústrias e empresas da área. “O planejamento estratégico do comitê tem casado com o nosso plano interno, que é atuar como um dos agentes promotores do desenvolvimento da região por meio desse setor”.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.