Governador destaca vocações regionais

Em fórum mundial sobre desenvolvimento econômico

Fortalecer pequenos produtores e incentivar a agricultura familiar. Devido às suas ações voltadas a esses focos, o Paraná foi destaque no V Fórum Mundial de Desenvolvimento Econômico Local, nesta segunda-feira (31).

Realizado pela Organização das Regiões Unidas (ORU-FOGAR), o evento reúne líderes para debater o papel dos territórios em tempos de incerteza, temática que guia esta edição. O congresso, que acontece de forma online, começou na quarta-feira (26) e segue até esta terça (01).

O Paraná participou de um painel que discutiu mecanismos de diversificação de modelos produtivos sustentáveis. Nesse sentido, o governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou ações criadas pelo Estado para fortalecer a economia local.

“Temos investido nas potencialidades das vocações regionais. Esse é um trabalho construído especialmente na agricultura familiar, incentivando a industrialização de produtos que cada região já produz, mas de forma não tão estratégica comercialmente. Por isso, estamos desenvolvendo um trabalho que organiza a cadeia produtiva nessas pequenas propriedades, dando capacitação comercial para poder agregar valor a seus produtos e criando mecanismos para vendê-los”, explicou o governador.

Criado pela Invest Paraná, a iniciativa é batizada de Programa de Vocações Regionais Sustentáveis do Paraná e tem o objetivo de valorizar a originalidade de produtos locais através do fortalecimento das relações sociais, culturais e ambientais que perpassam sua produção.

Para isso, o programa cria um ciclo de três etapas: valorização do conhecimento tradicional, inserção de inovações tecnológicas e aberturas de canais de vendas. Os produtos que concluírem o ciclo do projeto passam a ter uma certificação e a integrar um portfólio de ações comerciais de exportação da Invest Paraná. Assim, a iniciativa resulta em um fortalecimento do senso de pertencimento e na inclusão econômica e social dos participantes.

Atualmente, o projeto está em fase de preparação do piloto. Essa primeira fase será aplicada nas cidades de Morretes, Antonina e Guaraqueçaba, trabalhando os conceitos de turismo de natureza e de base comunitária, além de produtos originais da região. Na sequência, é esperado um lançamento oficial dentro dos próximos meses.

 

“O Governo do Estado tem o olhar para os menores, os pequenos, os que precisam de uma mão amiga para poder se modernizar e automaticamente crescer”, disse Ratinho Junior.

O programa é baseado em duas metodologias similares já desenvolvidas e aprovadas em outros países: a “Value Links”, da agência alemã GIZ, e a “One Village, One Product”, criada pelo Japão e difundida por diversas outras nações em desenvolvimento.

ESTAÇÕES DA ESTRADA – Outra proposta apresentada pelo governador é voltada para aumentar o potencial de venda de pequenos produtores em suas próprias regiões, criando grandes centros de serviços em rodovias de todo o Estado. A ideia é atrair motoristas e viajantes que passam pela estrada para consumir os produtos locais e conhecer a região.

Com as chamadas “Michi-no-eki” – estação da estrada, em japonês – o modelo é idealizado em parceria com a província japonesa de Hyogo, estado-irmão do Paraná há 50 anos.

“Temos uma inspiração nesse modelo japonês que constrói um ambiente na frente das estradas, no qual cada família tem uma área para expor e vender seu produto. Essas rodovias com alto fluxo de tráfego já têm o cliente passando na porta desse estabelecimento, e pela falta de um ambiente físico para venda os produtores acabam perdendo um grande volume de consumidores”, explicou o governador.

Para fomentar a região, essas estruturas ficam em pontos estratégicos das rodovias e apresentam diferentes serviços, como venda de produtos locais, turismo regional, incubadoras de negócios e centros de eventos para cultura local, além de restaurantes, lanchonetes e banheiros.

O projeto das Michi-no-eki está em fase de desenvolvimento pela Invest Paraná.

CRESCIMENTO – O governador também destacou que o Paraná, maior produtor de proteína animal do Brasil, recebeu na última semana a certificação de área livre de aftosa sem vacinação pela Organização de Saúde Animal (OIE), medida que deve multiplicar potencial de exportação de produtos do agronegócio.

Além disso, Ratinho Junior reforçou que medidas de desburocratização e de apoio aos empreendedores levam aos bons indicadores que o Estado tem apresentado, mesmo em meio à pandemia do coronavírus.

“A desburocratização da máquina e o foco em atender os pequenos produtores com conhecimento técnico e ajuda financeira para sua modernização contribuem para uma velocidade acima da média. Tudo isso fez com que o Paraná fortalecesse cada vez mais as pequenas indústrias no Interior, evitando o êxodo rural, melhorando a qualidade de vida dessa população e, acima de tudo, gerando empregos”, destacou, disse o governador.

PRESENÇAS – Também participaram do painel do fórum o governador de Huancavelica (Peru), Maciste Alejandro Díaz Abad; Teresa Carvajal Salcedo, presidente do Conselho Profissional de Medicina Veterinária e Zootecnia da Colômbia e coordenadora da Área Agropecuária da rede universitária Agroambiental da União de Universidades de América Latina e Caribe; Pablo Di Si, CEO da Volkswagen Latinoamérica; Hugo Salomão França, diretor de Relações Internacionais de Belo Horizonte; e Cesar Carrillo Vega, diretor de Economia Rural e Abastecimento da Secretaria Distrital de Desenvolvimento Econômico de Bogotá (Colômbia). O diretor-presidente da Invest Paraná, José Eduardo Bekin, e o diretor de Desenvolvimento Econômico e Relações Internacionais e Institucionais, Giancarlo Rocco, também acompanharam a videoconferência.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.