Força do agronegócio no NP

Deputado reafirma que não apenas a indústria alimentícia do Norte Pioneiro é destaque, como também a produção agrícola

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta terça-feira, 13, a importância do Norte Pioneiro para o agronegócio paranaense, sobretudo para o cooperativismo, por meio da indústria alimentícia. Segundo o deputado, no Paraná, o setor apontou crescimento de 9,3% no ano passado, enquanto a média nacional foi de 1,8%.

O Norte Pioneiro é sede de grandes empresas do setor de alimentos, instaladas em Cambará, Jacarezinho, Ribeirão Claro, Joaquim Távora e Santo Antônio do Paraíso, entre outras.

“É uma região de grande potencial agrícola, não apenas na produção, mas também no beneficiamento e industrialização de alimentos. Além disso, os pequenos agricultores impulsionam o agronegócio da região, produzindo e comercializando em feiras, supermercados e até em grandes redes atacadistas”, diz Romanelli.

Impulso —  Apesar das medidas restritivas impostas pela pandemia do coronavírus, o agronegócio paranaense está em alta, o que fez com que a atividade industrial no Estado tivesse um recuo de apenas 2,6% no primeiro ano da guerra contra a covid-19. Romanelli assinala que a força do agronegócio paranaense é fortemente impulsionada pelo cooperativismo, que está em ascensão no Estado.

“O setor de alimentos responde por 34% do PIB industrial do Paraná, contra 22,5% da média nacional. E o Norte Pioneiro tem uma grande parcela de responsabilidade por esse crescimento, que mantém a economia aquecida, gera emprego e renda e evita que o Brasil entre em colapso financeiro”, avalia.

O deputado reafirma ainda que não apenas a indústria alimentícia do Norte Pioneiro é destaque, como também a produção agrícola. “O Norte Pioneiro produz alimento para o Brasil. É a maior região produtora de fruticultura do Paraná e também produz, em larga escala, açúcar e álcool que movimentam o País”, comemora.

Romanelli lembra também que o setor agropecuário foi o único segmento que apresentou resultado positivo na composição do PIB de 2019, com crescimento de 2%. “Outros setores importantes para a economia paranaense, como indústria [-3,5%] e serviços [-4,5%] tiveram desempenho negativo”, informa.

Cooperativismo — Romanelli reafirmou que as cooperativas são fundamentais para o desempenho do agronegócio paranaense. São elas que respondem por grande parte da industrialização da produção agropecuária.

“Desde produtos lácteos aos cortes de carne de aves e de suínos, o cooperativismo paranaense contribui com a alimentação saudável do brasileiro e a economia do Brasil. Além disso, óleo de soja, margarina, farinha de trigo, sucos e uma infinidade de alimentos são produzidos e industrializados no Paraná, e cada vez mais ganham o mercado nacional e internacional. Um resultado que dá orgulho a todos nós paranaenses”, completa o deputado.

E conclui: “É nas cooperativas que o alimento produzido no Paraná é industrializado, com produtos que vão direto para a prateleira do supermercado, o que fez com que o faturamento das cooperativas registrasse *aumento mais de * 30%, em decorrência do aumento dos preços dos produtos agrícolas, em especial milho e soja”.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.