Excesso de chuva causa erosão do solo

Os produtores do Norte do Paraná esperam uma produtividade até 20% menor nas lavouras de soja. Em Cornélio Procópio, a erosão dos solos e a ferrugem asiática são algumas das preocupações dos sojicultores._x000D_
_x000D_
Na fazenda do agricultor Ademir Bernadelli, uma parte da área virou um córrego a céu aberto no meio das plantas. Ele nunca tinha observado nada parecido. O solo saturado de água deixou as plantas menores. Com as vagens perto da base dos pés, os produtor não vai conseguir colher tudo._x000D_
“A colheitadeira não pega e há uma perda. E também uma perda de crescimento, porque os nódulos são curtos. Essa planta vai crescer mais um ou dois nódulos. Aí também tem perda de produtividade”, explica o produtor._x000D_
Por causa da umidade encontrada na terra, a expectativa é que o fungo da ferrugem asiática ataque a região mais cedo e as perdas devem ser maiores que nos anos anteriores._x000D_
“Segundo a nossa pesquisa, nós estamos de 20% a 25% de perda”, afirma o presidente do Sindicato Rural do município, Ancelmo Bernadelli._x000D_
Neste ano, mais de dois mil milímetros de chuvas atingiram Cornélio Procópio. A média anual é de 1200. A chuvarada desloca parte da terra da lavoura e causa a erosão, levando as plantas e os nutrientes do solo._x000D_
“Há cinco ou seis anos, com a realização de soja e milho safrinha, os produtores optaram por máquinas maiores. Com essa mudança, o solo passou a não reter mais água. Em um ano como este, em que há excesso de chuva, isso aí se tornou um grande problema”, comenta o consultor técnico do Soja Brasil, Áureo Lantmann.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.