Estiagem preocupa lideranças rurais e políticas do Paraná

A reunião contou com o Deputado Romanelli, o Secretário Noberto Ortigara e com lideranças da região da Amunpar

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) e o secretario estadual de Agricultura, Norberto Ortigara, debateram a crise hídrica que coloca em risco a agricultura e pecuária paranaenses. Por conta da estiagem, as perdas nas safras serão altas e vão provocar prejuízos aos produtores rurais.

A reunião também contou com a participação de lideranças da região da Amunpar (Associação dos Municípios do Noroeste Paranaense). “Estamos buscando auxílio aos produtores prejudicados, desde os menores até os grandes agricultores”, disse o deputado.

O prefeito Alex Sandro Fernandes (PL), de Querência do Norte e o vereador Toninho Sabot (MDB) afirmaram que a situação crítica “que coloca em risco praticamente toda a agricultura e pecuária do município”. Também participaram da reunião o presidente da Câmara, Ricardo Paulino (PSL); a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Sandra Escher e o agrônomo da Cocamar de Querência do Norte, Rubens Adriano.

Capital do arroz — Querência do Norte recebeu no ano passado, o título de Capital Paranaense do Arroz Irrigado. A cidade é reconhecida no Brasil e exterior pela produção de arroz e a maior produtora da semente no Estado. Também é destaque o uso de tecnologias aplicadas no cultivo.

Querência do Norte celebra anualmente, em setembro, a Festa do Arroz, evento já incluído no calendário oficial do Estado.

Perdas — Levantamento feito pelo Deral (Departamento de Economia Rural), da Secretaria Estadual da Agricultura, aponta que as perdas com a estiagem no estado podem chegar a R$ 24 bilhões. Soja, milho e feijão devem apresentar as maiores perdas do setor.

Segundo o órgão, inicialmente a estimativa de perda para a safra 2021/2022 era de 21 milhões de toneladas, com a previsão, em dezembro de 2021, de quebra de 12%. No entanto, a situação no Estado se agravou e a redução na soja evoluiu significativamente.

Num levantamento preliminar, o Deral constatou perdas próximas a 37,8% na produção de soja no Paraná. A estimativa é de que o Estado deixe de produzir cerca de 8 milhões de toneladas.

Queda também na produção de milho, que tinha inicialmente uma previsão de produção de 4,2 milhões de toneladas. Dados mais recentes apontam uma quebra de 42%, produzindo cerca de 2,4 milhões de toneladas.

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.