Norte Pioneiro inicia plantio de soja

Produção estimada de 670 mil toneladas vai render R$ 1,78 bilhão

Segundo Franc Rom de Oliveira, do Departamento de Economia Rural (Deral), do Núcleo Regional de Jacarezinho da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento), no Paraná o calendário de semeadura de soja referente a safra 2021/2122, conforme Portaria n. 389 de 1 de setembro de 2021 do Ministério da Agricultura, estabelece o período de setembro até 31 de janeiro de 2022.

Com área estimada de 172.500 hectares e uma produção em torno de 670 mil toneladas, a cultura da soja é uma das mais importantes do Norte Pioneiro.

O preço da saca de 60 quilos na atual cotação é de R$ 160,00. Ao preço de hoje renderia R$ 1,78 bilhão aos produtores, o que será realidade a não ser algum problema climático muito sério.

Os produtores do NP aguardam condições ideais para iniciar os trabalhos de plantio da temporada 2021/2022, o que deve ocorrer na semana que vem.

Fotos: José Fernando Ogura

O clima irregular, pelo segundo ano seguido, provoca o atraso no plantio da safra de soja 2021/22 no Paraná, o que pode comprometer a produção dessa e de culturas que, posteriormente, ocuparão a mesma área. Os detalhes estão no Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 24 a 30 de setembro. O documento é preparado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

A falta de chuvas que se estende praticamente por todo o Paraná ainda não possibilitou avanço significativo da semeadura da soja, ainda que o período autorizado para essa atividade tenha iniciado em 13 de setembro. O levantamento do Deral aponta que, até o momento, foram semeados 407 mil hectares, o que representa 7% do total da área estimada para a safra.

Pulverização de soja. Foto: Gilson Abreu/AEN

Com relação à produção brasileira, o levantamento da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) mostra que o volume de soja produzido na safra 2020/21 foi de 135,91 milhões de toneladas.

Os principais estados produtores no período foram, respectivamente, Mato Grosso (35,88 milhões de toneladas), Rio Grande do Sul (20,78 milhões de toneladas) e Paraná, com 19,88 milhões.

 

 

 

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.