Brasil tem potencial de crescimento com novas tecnologias e busca maior investimento para se consolidar no cenário mundial

O Brasil é visto como um país com grande potencial no uso de novas tecnologias, principalmente em setores como o entretenimento e o agronegócio. Uma prova disso é o alto número de startups brasileiras que estão conseguindo destaque no cenário nacional. Entretanto, para conseguir transformar todo esse potencial em realidade, o país precisa aumentar o investimento e diversificar ainda mais a digitalização de serviços nas indústrias brasileiras.

Segundo reportagem divulgada pela Agência Brasil, a digitalização apenas dos serviços públicos pode gerar uma economia de R$ 2 bilhões todos os anos. Isso significa que o Governo Federal e a população brasileira só têm a ganhar com o uso de novas tecnologias por órgãos públicos, seja no atendimento ou até mesmo em questões burocráticas. Contudo, o maior impacto dessas inovações está em outras áreas.

No setor elétrico, por exemplo, o investimento nessas inovações é algo recorrente. Durante todo o ano de 2020, a Copel teve uma melhoria de 15% no serviço de distribuição de energia no Paraná. Essa evolução foi o resultado dos investimentos feitos pela empresa em tecnologia e na automação dos serviços. Algo semelhante acontece com empresas que atuam em outros estados, desde a estrangeira EDP até a Enel Distribuição São Paulo. As duas companhias são conhecidas e premiadas pelo uso de inovações tecnológicas no setor.

Outro campo que vale mencionar é o financeiro, principalmente se olharmos para os bancos. Esse setor foi transformado com o surgimento de diversas startups de sucesso. O caso mais famoso é do NuBank, que surgiu como um cartão de crédito e, atualmente, é um dos bancos digitais mais bem-sucedidos do Brasil. Segundo artigo do portal Money Times, a instituição tem um valor de mercado na casa dos US$ 25 bilhões, e é a maior empresa do setor na América Latina.

Agronegócio e diversão

Apesar da importância dos setores que citamos, e também de vários outros, é a agropecuária e o entretenimento digital que chamam mais atenção no Brasil. Em 2019, por exemplo, os bons resultados no Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná só aconteceram devido ao agronegócio. O setor teve uma alta de 10% naquele período, e muito por conta do impacto positivo das novas tecnologias nas plantações e também nos pastos.

Conhecido popularmente como Agronegócio 4.0, o setor está ganhando cada vez mais autonomia com o uso de ferramentas inovadoras. Os drones autônomos, como explica o site Blog da Engenharia, podem servir de exemplo. Eles fazem com que os produtores possam acompanhar toda uma área de produção sem precisar de grande esforço ou gastos extras. Além disso, os equipamentos também geram uma economia na aplicação de insumos, cerca de 50%, pois conseguem analisar e controlar o uso desses produtos.

Na área do entretenimento, o maior impacto na popularização das novas tecnologias é a digitalização de várias atividades conhecidas do público. O melhor exemplo fica por conta dos serviços de streaming, principalmente os voltados para filmes e séries. As principais plataformas disponíveis no mercado, como a Netflix e a Globoplay, possuem mais de 15 milhões de usuários, segundo dados divulgados pelo site TecMundo, e estão ganhando espaço que antes era do cinema e também das operadoras de TV paga. Outro exemplo que vale citar são as plataformas de cassinos online, que estão fazendo com que jogos de apostas tradicionais ganhem cada vez mais popularidade no cenário digital brasileiro. Como mostra o site de jogos de roleta online da Betway, as versões digitais dos jogos de cassino estão sempre ficando mais interativas, isso acontece com o blackjack disputado em tempo real via streaming. Por último, também é possível citar o impacto dos videogames, que oferecem tecnologias inovadoras para os fãs de games desde The Climb até Jurassic World ou Tetris Effect. O uso da tecnologia de Realidade Virtual é algo que ainda deve crescer nos próximos anos, mas que possui grande potencial como entretenimento.

Pouco investimento

Todos os exemplos parecem colocar o Brasil como uma grande potência no setor de inovações tecnológicas. Porém, essa não é a realidade. No ranking de países mais avançados no campo da tecnologia, que foi divulgado pelo site Global Finance, o Brasil aparece na modesta 55ª posição. O principal motivo é a falta de investimento no setor, seja de forma direta nas empresas ou até mesmo na educação. Em 2020, por exemplo, o crescimento de capital neste campo ficou abaixo de 1%, um número que fica longe da média de outros países.

O Paraná é um dos estados que pode fazer esse número melhorar, e tem trabalhado para isso. No início deste ano, por exemplo, o Instituto Federal do Paraná (IFPR) abriu um curso de especialização em Educação, Sociedade e Tecnologia justamente com o objetivo de aumentar o número de profissionais que trabalham com inovações tecnológicas.

As novas tecnologias já estão ganhando espaço em diferentes setores, e o Brasil tem um grande potencial em mãos. Entretanto, o investimento é necessário para transformar isso em realidade, principalmente em setores que estão ficando mais populares, como o entretenimento e o agronegócio. Essas inovações são cada vez mais importantes para o país, seja pelo aspecto econômico ou até mesmo social.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.