Banco do Agricultor “é fundamental”

A iniciativa banca até 3% da taxa de juros na captação de crédito bancário para investimentos físicos nas propriedades ou cooperativas

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) participou do recente lançamento do Banco do Agricultor Paranaense, no Palácio Iguaçu. Ele afirmou que a iniciativa é fundamental para alavancar a agricultura familiar, contribui para elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios e promove avanços socioeconômicos do Paraná.

“O mapa do IDH é mais vermelho onde a agricultura familiar é mais presente”, disse o parlamentar. “É ali que temos que trabalhar mais fortemente. Fazer um esforço coletivo com o Banco do Agricultor para agregar valor à produção da agricultura familiar e promover o desenvolvimento socioeconômico do Estado”, defendeu Romanelli.

Segundo o deputado, o programa lançado pelo governador Ratinho Junior tem potencial para mudar a realidade do campo e acelerar o crescimento do Paraná. “Esse programa trabalha todas as variáveis para atender os agricultores paranaenses. Ele potencializa o que sabemos fazer”, destacou, reforçando a importância do financiamento para a autoprodução de energia e sistemas de irrigação nas propriedades rurais.

JURO ZERO
 Segundo o Governo do Estado, o Banco do Agricultor Paranaense vai disponibilizar até R$ 500 milhões para alavancar investimentos no meio rural. A iniciativa banca até 3% da taxa de juros na captação de crédito bancário para investimentos físicos nas propriedades ou cooperativas. “Para algumas linhas, haverá juro zero ao agricultor”, ressalta Romanelli.

De acordo com a lei aprovada pela Assembleia Legislativa, a subvenção está autorizada para cooperativas e associações de produção, comercialização e reciclagem, e a agroindústrias familiares. O benefício atende quem quer investir em sistema de irrigação e captação de água, energias renováveis, agroindustrialização, produção leiteira, piscicultura, plantio de hortifrutigranjeiros, erva-mate e pinhão.

O governador Ratinho Junior afirmou que o Banco do Agricultor é um marco para o agronegócio paranaense e contribuirá para a produção de alimentos de forma sustentável. “O Estado propõe uma política bastante agressiva no sentido de o dinheiro ser barato para o produtor”, completa o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.