Projeto visa conscientização sobre Síndrome de Edwards

Romanelli propõe dia 06 de maio para o Dia da Conscientização da Síndrome de Edwards

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) apresentou um projeto de lei que institui a data de 6 de maio como o Dia da Conscientização sobre a Síndrome de Edwards (T18) no Paraná. A proposta objetiva dar visibilidade à disfunção, além de promover orientação à rede de atendimento hospitalar sobre esta condição genética.

“A Síndrome de Edwards, também conhecida como Trissomia 18, é a segunda condição genética que mais acontece no Brasil e é ainda pouco conhecida pelas pessoas e pelos profissionais de saúde”, justifica Romanelli. “De acordo com estatísticas oficiais, essa cromossomopatia atinge 1 em cada 8 mil bebês nascidos”, relata o deputado ao apresentar a proposta na Assembleia Legislativa.

O texto do projeto de lei informa que a Síndrome de Edwards não tem tratamento e, geralmente, é fatal antes do nascimento ou durante o primeiro ano de vida. “O diagnóstico em geral vem acompanhado da informação que nenhum pai ou mãe quer ouvir, a da incompatibilidade com a vida”, explica Romanelli. “Ainda assim, existem no País crianças, jovens e adultos vivendo com essa condição”.

A disfunção é causada pela existência de um cromossomo 18 a mais, que resulta no baixo peso ao nascer, cabeça pequena e de formato anormal, além de defeitos congênitos em órgãos. “Com o objetivo de informar, conectar e apoiar famílias que convivem com doenças genéticas graves e raras, é que proponho o presente projeto de lei para fins de dar o máximo de visibilidade à trissomia do cromossomo 18”, sustenta o deputado.

Apoio – Romanelli informa que, no Brasil, a Associação Síndrome do Amor (ASDA) é uma referência no apoio para famílias de crianças, jovens e adultos com doenças genéticas. A organização, criada em 2007, registra o atendimento a 2.300 famílias, sendo que 1.490 casos são da Síndrome de Edwards. O fato originou o movimento “T18 Brasil” com o intuito de conscientizar sobre esta condição genética e dar o máximo de visibilidade à doença.

No Paraná, a atenção à síndrome é parte das atividades da associação Dando Voz ao Coração, que recomendou a criação do dia da conscientização sobre esta disfunção. A organização oferece suporte psicoemocional às famílias de recém-nascidos, crianças e adolescentes internados ou tenham histórico de tratamento em Unidades de Terapia Intensiva.

Fundada no ano de 2020, a organização é responsável pela edição e publicação do livro “Mães de UTI: Dando Voz ao Coração”. A obra permite entender a complexidade do universo que envolve a terapia intensiva neonatal e pediátrica, e a realidade de famílias que se encontram desamparadas nesse momento de angústia, onde o que está em risco é a vida de um filho.

Data – A escolha de 6 de maio para dar maior visibilidade à Síndrome de Edwards é para fortalecer e ampliar o entendimento da sociedade sobre as trissomias. A mais conhecida delas é a Síndrome de Down (T21), cuja data estadual de conscientização é 21 de março, conforme aprovado na lei 20.599/21, com uma semana de atividades.

De acordo com a associação Dando Voz ao Coração, 06 de maio é data do nascimento do Thales Castelo Branco Cassiano, um bebê portador da Síndrome de Edwards, que nasceu em 2004 e viveu por um ano e cinco meses. “O Thales é a prova de que não é preciso viver décadas para deixar um legado. Ele espalhou amor por onde passou, e vem tocando o coração de muita gente até hoje”, sustenta mensagem da instituição.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.