Sucessão platinense: Vices não admitem mas podem ser trocados

Pleito vai ocorrer no máximo em seis meses 

Os grupos políticos do prefeito Professor Zezão (Podemos) e do vice Chico Aramon(PMN) já definiram que tentarão a reeleição sem alterações na chapa majoritária no pleito deste ano (deverá ser disputado em outubro, novembro ou dezembro) e a posse no dia primeiro de janeiro de 2021. O pré-candidato a prefeito Valter do PT deve ser acompanhado por Janderson (Psol). Os outros três grupos podem promover mudanças internas.

Pedro Claro de Oliveira(PSD), é quase certo, não será o cabeça de chapa por conta da saúde frágil e da idade (faz 80 anos em novembro) e deve ser o vice de Valdir Domingos (DEM). Há quem defenda que seja o pré-candidato à chefia do executivo e depois (se vencerem) se afaste do cotidiano da administração, que ficaria com o fotógrafo, ajudando no que for preciso.

     

Cláudio Cação (foto) também pode sair da vice de José Arthur Ritti(MDB), uma vez que teria uma vitória certa para vereador, garantindo o subsídio (“salário”) de R$ 4.251, além das diárias. Ele nega a escapada, porém já prometeu não ser vice de ninguém no ano passado e agora está como vice na chapa emedebista pura (veja link no final desta matéria).
Ritti também rechaça a possibilidade, “Cação sabe que junto comigo faremos de oito a 14 mil votos ((dependendo de quem estiver do outro lado ) e temos plenas condições de ganhar a prefeitura; não adianta…A história e o capital político do Ritti velho de guerra ninguém apaga, 32 anos após sair da vida pública mantém a influência”, afirmou.

Gil Martins (PTB) , pré-candidato a prefeito, também nega a possibilidade do vice, do PSB, Celso Schmidt (foto) ser substituído.
“Estou muito confiante e super animado, grupo consolidado, teremos sete partidos na coligação majoritária, quatro deles com legendas completas de pré-candidatos à câmara, totalizando 56, sendo 35 homens e  21 mulheres”, disse.

Ocorre que, mesmo internamente há divergências e proposições de outros nomes e algumas lideranças acreditam que Schmidt pouco agrega, “ele não vai investir dinheiro na pré-campanha e nem na campanha eleitoral, tem muita rejeição e poderia participar sem ser postulante e ocupar o cargo que diz pretender”, afirmou uma pessoa muito próxima de Gil. É que o empresário tem verbalizado que objetiva somente uma sala com secretária para tratar de indústria e comércio e conquistar a instalação de mais empresas na cidade, “ora, se ele tem esse poder de persuasão e tanto prestígio e influência por que não traz já essas firmas?”, arrematou.

Veja também: https://npdiario.com/politica/nao-serei-vice-de-ninguem-afirma-cacao/

Você terminou a leitura, navegue pelas nossas notícias a seguir

Categorias e tags

Compartilhar essa notícia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Share on whatsapp

Siga-nos

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.