SAP: Médica e marido pagam fianças e saem das cadeias da região

Dupla está definitivamente fora do Pronto Socorro platinense e da região

Exclusivo: Com detalhes obtidos com o correspondente do Npdiario em Jacarezinho, foi possível confirmar. O  estudante de Medicina (29 anos) que estava preso na  cadeia de Andirá foi libertado na noite deste sábado, dia 14. Pagou fiança de dez mil reais.

Sua esposa, médica, encarcerada em Santo Antônio da Platina (cadeia só de detentas), tinha 48 horas para pagar fiança do mesmo valor. Ela, que está grávida, também pagou o mesmo valor de R$ 10 mil, e  foi liberada.

Será exonerada e o companheiro afastado como possível estagiário.

Ambos responderão em liberdade.

Na manhã deste sábado, dia 14, equipes da Polícia Civil, composta pelo delegado Rafael Guimarães e investigadores, deram cumprimento a mandado de busca e apreensão no Pronto Socorro Municipal (fotos) de Santo Antônio da Platina.

O mandado de busca teve concordância do Ministério Público e autorizado pelo Poder Judiciário.

Foram recebidas várias denúncias de que no Pronto Socorro Municipal do homem, de 29 anos, Estudante de Medicina, estaria atendendo pacientes e preenchendo prontuários e receitas médicas sem possuir inscrição em Conselho de Medicina, sendo que ele tirava plantões acompanhada de sua esposa, a qual é médica, mas não acompanhava os atendimentos e somente assinava os documentos preenchidos pelo marido.

A Prefeitura, através de Esclarecimento feito pela Secretaria Municipal de Saúde, ao ser informada sobre o ocorrido no Pronto-socorro (foto)  já deu início nas análises internas para apuração dos fatos.

Nesse sentido e para uma avaliação concreta do fato objeto de denúncia, serão solicitadas informações ao responsável técnico, ao chefe do PS e dos prestadores de serviços de plantões médicos para apurar possíveis irregularidades e através de procedimento administrativo impor eventuais responsabilidades.

Informou ainda a secretaria de Saúde que a médica citada possui CRM(Conselho Regional de Medicina) e era responsável contratualmente por todos os atendimentos médicos do plantão.

 

Investigadores realizaram campana e abordaram pacientes pela manhã, as quais confirmaram as denúncias no sentido de que eram atendidas apenas pelo homem que se apresentava como médico.

Foram apreendidos prontuários médicos, celulares dos envolvidos e imagens das câmeras de segurança local.

Os dois permaneceram em silêncio no interrogatório e receberam voz de prisão em flagrante por co-autoria nos crimes de exercício ilegal da medicina (artigo 282 do Código Penal – detenção de 06 meses a 02 anos) e falsidade ideológica (artigo 299 do Código Penal – pena de reclusão de 01 a 05 anos).

A avaliação e escala no Pronto Socorro são (ou eram) feitas pelo médico Diego Burani, que é (ou era) o responsável técnico pelos dois profissionais, presos e agora soltos para se defenderem das acusações, tidas como de a partir de pelo menos quatro meses atrás.

Ele, formado na Bolívia, disse ao Npdiario ter ficado sabendo do caso ontem pela manhã.

Outra médica a  substituiu assim que aconteceu o fato.

“A profissional, realmente, foi encaminhada, terá direito de  se explicar, pode ser um mal entendido. O esposo dela deve estar com advogado e era estudante, estava como estagiário. Ele não é bandido, tudo será esclarecido”.

O casal permaneceu preso até a noite de ontem. 

Veja a primeira matéria, em primeira mão, do escândalo:

https://www.npdiario.com.br/capa/preso-casal-de-medicos-hoje-em-santo-antonio/

E mais esta, sobre o esclarecimento da secretaria de Saúde:

https://www.npdiario.com.br/capa/secretaria-da-saude-platinense-comenta-escandalo-do-ps/

 

Você terminou a leitura
Compartilhar essa notícia
Escrever um comentário

Últimas notícias

JEPs: Novas etapas em Wenceslau Braz e Pinhal começam hoje
6 horas atrás

Competições reúnem 17.751 inscritos, entre alunos e professores, de 183 municípios paranaenses Começa nesta quinta-feira

PRE e SEST/SENAT fazem Bliz Educativa
7 horas atrás

Ação da PRE e do SEST/SENAT Nesta quarta-feira, dia 25, a Unidade Operacional da PRE

Liminar reaviva a polêmica sobre o presídio em Pinhal
8 horas atrás

Decisão provisória do TJ suspendeu possível obra A polêmica prossegue. Agora, o Tribunal de Justiça

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.