Sepultado corpo de Juscéia Garbelini

Professora de conceituada família deixou marido, três filhos e três netas

Juscéia Aparecida Veiga Garbelini (fotos), 64 anos, faleceu nesta quinta-feira, dia cinco, às 11h32m em Jundiaí(SP) onde estava em tratamento de câncer. Filha de Antônio Veiga e da professora Laudelina.

O corpo foi transladado para Santo Antônio da Platina e será velado na Funerária Platinense  entre nove e 14 horas. Sepultamento às 16h30m no cemitério São João Batista, em Santo Antônio da Platina.
Deixou esposo Sérgio Augusto Garbelini, três filhos: Tiago, Rebeca e Diogo, e três netas Maria Valentina, Maria Luísa e Antonella.
Professora de Língua Portuguesa, residia atualmente em Palmas, capital de Tocantins.

 

O filho dela, Diogo, escreveu o texto abaixo enviado ao npdiario:

Assim como chegou, foi no mês de agosto que ela partiu. Tal como o significado espiritual do mês de agosto, trazer luz para iluminar os cantos escuros da alma. E assim podemos caracterizar a trajetória de vida da Professora Juscéia Veiga Garbelini, entre nós.

Mulher e profissional reflexiva, cheia de atitudes e, sobretudo, um ser humano que irradiou luz por onde passasse.

Filha de professora, sempre teve muito orgulho disso. Foi docente de todos os níveis (Ensino Fundamental, Médio e Superior) e em todas as esferas (Municipal, Estadual e Federal). Começou como professora da rede municipal de Santo Antônio da Platina, antigo primário, na zona rural, tempo esse que lhe rendeu várias histórias para contar sobre o início da sua jornada.

Logo após, lecionou em vários colégios estaduais do município, e em 1994, entrou para a UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná), antiga FAFIJA (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras), em Jacarezinho, como Professora Assistente do Curso de Letras, tendo permanecido por quase dez anos. 

Possuía Mestrado em Letras pela UNESP e doutorado em Lingüística pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), sendo uma grande defensora da Educação Pública, que tanto lutava e valorizava a vida acadêmica e profissional.

Mudou-se para o estado de Tocantins, em 2004, onde exerceu a função de professora adjunta, além de Diretora do Campus Universitário de Porto Nacional, Pró-Reitora da Universidade Federal de Tocantins e de ter sido Secretária de Educação de Palmas, Tocantins.

Ela era  uma cidadã do mundo. Um mundo que não tinha limites, nem fronteiras…apenas horizontes. Horizontes que ela não tinha medo de desbravar. Inteligente, sagaz, espirituosa, atrevida, corajosa, bem-humorada, irônica, guerreira, obstinada, de uma incalculável sabedoria e uma generosidade ímpar…

Uma intelectual brilhante, à frente do seu tempo e espaço. Como sempre, ela foi, mais uma vez, coerente, intensa e plena com a vida que levou.  

Tentou tudo, não esmoreceu, mas sempre almejando a vida…a vida com plenitude!

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.