Jacarezinho: Liminar impede posse de conselheira tutelar

Acusada de transporte irregular de eleitores

Uma candidata recentemente eleita para o Conselho Tutelar de Jacarezinho (foto) teve a posse suspensa liminarmente (de forma provisória) pela Justiça, a pedido do Ministério Público do Paraná, a partir de ação civil pública ajuizada pela 2ª Promotoria de Justiça da comarca. O MP sustenta que a moça teria cometido ilegalidades durante o processo eleitoral que inviabilizam sua atuação como conselheira tutelar – são relatados na ação pretensos casos de compra de votos (em troca de carne e refrigerante) e de transporte irregular de eleitores.

A partir desses fatos, o MPPR requereu que a Justiça declare a “inidoneidade” da candidata e que, assim, não seja legitimada sua participação nas eleições. Como sustenta na ação, “o cargo de conselho tutelar não tem fim político, sendo um processo de escolha individualizado, sem vinculação a partidos políticos. O uso da máquina pública para campanha fez com que a candidata incorresse em abuso de poder político, colocando em cheque sua idoneidade moral.”

A liminar que impede a posse foi deferida nesta quinta-feira, dia 12, pelo Juízo da Vara da Infância e Juventude de Jacarezinho. As eleições para o Conselho Tutelar foram realizadas em 6 de outubro.

Procurada, a moça negou as acusações e garantiu já entrado na Justiça para derrubar a liminar,”não fiz absolutamente nada de errado, estou com a consciência tranquila”, afirmou para o npdiario, aparentando tranquilidade.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.