Crise hídrica suspende pesca no rio das Cinzas

Jacarezinho, Ribeirão Claro, Carlópolis, Siqueira Campos e Salto do Itararé

O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB) alertou nesta segunda-feira, 2, às cidades do Norte Pioneiro para a determinação do Instituto de Água e Terra (IAT) que proibiu a pesca em todas as suas modalidades no rio das Cinzas , principal curso de água da região.

A crise hídrica reforça a importância da suspensão da pesca, já que, com o nível baixo das águas, os cardumes não se dispersam pelas represas e rios compõem a bacia hidrográfica.

“Enfrentamos uma crise hídrica sem precedentes e são necessárias medidas que garantam a proteção da natureza e dos rios até que os cursos de água venham atingir níveis satisfatórios”, disse Romanelli.

De acordo com o IAT, o restabelecimento das atividades pesqueiras na região depende do aumento do nível dos rios da região. A bacia do rio das Cinzas tem 15 estações fluviométricas monitoradas pelo instituto, indicando o nível dos rios. Os dados são atualizados semanalmente.

Potencial Romanelli e o secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes visitaram o Norte Pioneiro e debateram com os prefeitos das cidades no entorno da represa Xavantes a edição de uma nova regulamentação para o licenciamento ambiental de uso e ocupação dos terrenos às margens do reservatório.

Cinco municípios do Norte Pioneiro integram a região conhecida como Angra Doce com potencial econômico, como atrativos náuticos e de turismo rural e de aventura. Jacarezinho, Ribeirão Claro, Carlópolis, Siqueira Campos e Salto do Itararé têm parte de áreas de terras banhadas pelas águas do reservatório formado pela junção dos rios Paranapanema e Itararé.

Romanelli defende que a implantação de um conjunto de ações para potencializar ainda mais o turismo na região. Dentre as medidas está a de criar um novo instrumento legal para disciplinar o uso e ocupação da borda do local, com grande potencial turístico.

“O Norte Pioneiro desponta como o novo circuito turístico do Paraná e atrai milhares de visitantes de vários estados brasileiros e até do exterior. É preciso adotar medidas para preservar o meio ambiente e garantir a sustentabilidade, com a atração de empreendimentos em vários setores, impulsionados pelo Turismo”, explica.

Romanelli e o deputado Pedro Lupion (DEM) são autores da lei estadual 19.369/2017, que instituiu a região do Angra Doce como área especial de interesse turístico. A normatização de diretrizes para o licenciamento ambiental de uso público na região, segundo Romanelli, é de interesse de todo o Norte Pioneiro, especialmente para as cidades que estão no entorno da represa Xavantes.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.