Enterrado corpo de PM morta durante discussão em Santo Antônio

Óbito foi causado por ciúmes da ex-mulher do rapaz

Um casal de PMs teve uma discussão familiar em torno das 22 horas deste sábado, dia 30, e a situação se transformou num acidente fatal. A mulher estava na residência dos pais na rua Amazonas, no Jardim São Pedro, bairro vizinho à Vila Ribeiro. O pai do PM é platinense e foi em sua casa onde ocorreu o fato em Santo Antônio da Platina (foto).

Outros PMs e o corpo de bombeiros estiveram no local após o disparo na namorada identificada posteriormente também como Policial Militar.Desesperado, ele estava com a arma apontada para a cabeça, dizendo que tiraria a própria vida. De imediato as equipes realizaram os primeiros passos da intervenção em crise, porém dentro da residência se encontrava o irmão dele, o qual tentava conversar , sendo que em certo momento obteve êxito em deter o irmão segurando sua arma e gritando para as equipes entrarem.
Neste momento um policial do corpo de bombeiros e dois PMs entraram e o irmão repassou a arma de fogo, uma pistola Taurus PT 640 – calibre .40 (foto), a mesma se encontrava carregada, momento em que a policial constatou que o estojo deflagrado se encontrava dentro da arma e no carregador havia 10 munições intactas.
Ato contínuo, após a contenção, a equipe do corpo de bombeiros verificou os sinais vitais da namorada deste que se encontrava deitada em um colchão no chão do quarto com um ferimento de disparo de arma de fogo na região do tórax, sendo constatado o óbito.
Diante do fato, o policial foi conduzido à ambulância dos bombeiros onde recebeu atendimento.
O casal estava num churrasco e  depois os dois foram para o quarto onde se deitaram em um colchão no chão, sendo que em certo momento iniciaram uma discussão, pois ela estava com ciúmes das mensagens que a ex-mulher havia enviado pelo celular. Após agressões verbais de ambas as partes, a namorada começou a lhe desferir socos e arranhões no pescoço,quando o rapaz foi se levantar para tomar banho e ainda ajoelhado retirou a pistola que se encontrava em sua cintura, momento em que ela gritou: “então agora você vai atirar em mim?” e segurou a mão dele, quando ocorreu o disparo.
Ela se chamava Luciana, os dois trabalhavam em Itu(SP) e estavam juntos há cerca de seis meses. A moça estava em férias e o rapaz estava de folga e viajou. No Norte Pioneiro, houve a briga.

O 31º Batalhão de Polícia Militar do Interior com sede em Ourinhos , divisa com o Paraná via Jacarezinho/Santo Antônio da Platina buscou o companheiro, detido na 4ª Cia Platinense.

O Instituto Médico Legal de Jacarezinho levou o corpo para os exames de praxe e entregará para ser sepultado neste domingo, dia 31, em Salto (SP), onde residem os familiares da vítima.

O policial será transferido para o presídio da Polícia Militar Romão Gomes, onde possivelmente responderá por homicídio doloso, quando há intenção de matar. A unidade prisional fica na Zona Norte de São Paulo.

O delegado Rafael Guimarães abriu inquérito para apurar mais detalhadamente o caso. Ele preferiu não fazer comentários.

Em casos semelhantes e pela gravidade é provável que a versão relatada pelo PM seja derradeira e oficializada.

 

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.