Siqueira Campos investe R$ 7 milhões na Saúde

Segundo Wilha Galdino, secretário municipal de Saúde, há três anos, em Siqueira Campos, “os investimentos na Saúde vêm subindo a cada ano, mas tamanha é a demanda para atender toda a população. A lei federal prevê um investimento mínimo de 15% do orçamento do município para a Saúde, entretanto, em Siqueira Campos o prefeito Fabiano Lopes Bueno, o Bí, sempre investiu mais, chegando aos índices de 19,5% ,em 2013, 20,6% em 2014 e de 21,1%, em 2015. O montante investido em reais no ano de 2015 ultrapassou a casa dos sete milhões”, destacou.

Os sete milhões supriram os seguintes procedimentos abaixo:

Atendimentos:
– 4.660 consultas por mês entre Posto de Saúde Central e nas Unidades de Saúde da Família dos Bairros Urbanos e Rurais, nas mais diversas especialidades: Clinico Geral, Obstetra, Ginecologista, Saúde Mental, Mastologista, Ortopedista, Geriatra e Dermatologista, suprindo 100% dos atendimentos básicos;
– 1.440 atendimentos através de convênios com CISNORPI (SUS) em Jacarezinho, para atendimentos de média complexidade, Cardiologia em Arapongas e atendimentos de alta complexidade em Londrina, Curitiba e Região Metropolitana e
– R$ 140 mil mensais são repassados a Santa Casa para manutenção do Pronto Atendimento, para atendimentos de urgência e emergência, os quais segundo o Presidente da instituição chega a atender uma média de 150 pacientes dia.

Exames
– 1720 exames em média são realizados pelo próprio município no Posto Central, sendo eles nas áreas de ultrasonografia, eletrocardigrama, exames de sangue e outros.

Frota:
– dois micro ônibus de 33 lugares zero km;
– quatro veículos;
– uma mini van de sete lugares;
– duas ambulâncias e
– uma van de 16 lugares zero km.
* Todos os veículos adquiridos na atual administração

Rémedios:
– 92% dos pacientes recebem remédios na Farmácia Básica, sendo que o município recebe lotes de medicamentos básicos do Estado através do Consórcio Paraná Saúde e do Governo Federal pelo Programa de Assistência Farmacêutica e Farmácia Popular. Os Medicamentos se dividem em remédios de alto custo e básicos constantes da Rename, mas nem sempre são suficientes.
Deixando um grande compromisso a ser cumprido pelo município, que investe mensalmente na compra de medicamentos um valor na casa de R$ 30 mil reais, de forma complementar para atender as demandas.

Vacinas:
As vacinas são disponibilizados atendendo o Calendário Nacional de Imunização que é destinado para crianças, idosos e gestantes, sendo de responsabilidade do Governo Federal o envio destas vacinas em contrapartida com os Estados.

Especialidades:
– 1040 atendimentos odontológicos são realizados por mês nas quatro unidades do município, sendo duas na zona urbana e duas na zona rural nos períodos da manhã, tarde e noite, sendo que o período noturno é exclusivo para trabalhadores.
– 640 atendimentos fisioterapeuticos são realizados aos pacientes entre clínica e domiciliar.

Campanhas:
– Desde 2013, o Departamento Municipal de Saúde vem desenvolvendo campanhas em todo o decorrer do ano, além das campanhas vacinais, todos os anos foram realizadas a já tradicional Campanha de Saúde do Homem (Agosto Azul), Campanha Saúde na Estrada (em parceria com a Rede Ipiranga), Campanha Saúde da Mulher Outubro Rosa, Campanha de Combate as Violências Intra-Familiares e Prevenção de Acidentes, Campanha Novo Sorriso Siqueirense em prol a Saúde Bucal, Campanha Barraca da Saúde na Festa de Agosto. Contabilizando nos anos de 2013, 2014 e 2015 cerca de 10 mil atendimentos, com a realização de exames, palestras, ações e prevenção em saúde.
Campanha de Combate a Dengue está sendo realizada no município, a equipe de endemias trabalha com material didático, explicativo e educativo, além informações por rádio e agora contando com um canal de comunicação, o Disk foco (3571.2664) que é um telefone fixo onde as pessoas podem ligar e informar locais com focos ou suspeitas do foco.
Em 2015, Siqueira Campos teve 126 casos de dengue confirmados e nenhuma morte, em 2016 ainda não tivemos nenhum caso, mas os focos cresceram e em grande parte pela falta de conscientização. Para tanto foi criada uma Lei municipal n 1.081/2015 onde regulamenta a forma de atuação das equipes perante as dificuldades de acesso a residências, terrenos e empresas por conta dos proprietários. A lei condiciona multas que variam de um a cinco. Os membros da vigilância sanitária e os fiscais de obras e postura serão os responsáveis por fiscalizar e acompanhar as visitas.

 

Você terminou a leitura
Compartilhar essa notícia
Categorias e tags
Escrever um comentário

Últimas notícias

Caminhão tomba em rodovia de Wenceslau Braz
9 minutos atrás

PRE Siqueira Campos atendeu a ocorrência Neste domingo (03), por volta das três, ocorreu acidente

Mantida prisão de réu que filmou crianças em situações eróticas
13 horas atrás

Imagens de conteúdo erótico com menores caracteriza estupro Em julgamento de recurso da defesa, o

Jacarezinho 22 e Santo Antônio 17
13 horas atrás

As duas cidades juntas têm 125 pacientes infectados O boletim epidemiológico de Jacarezinho desta segunda-feira, dia

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.