Jaboti e Cohapar ampliam frentes de trabalho

O prefeito de Jaboti, Vanderley de Siqueira e Silva, esteve na sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), em Curitiba, nesta terça-feira (2). Ele foi recebido pelos assessores do presidente Abelardo Lupion, Jocely Loyola e Benedito Garcia, com quem conversou acerca dos projetos habitacionais do município. O encontro também foi acompanhado pelo chefe da controladoria interna de Jaboti, José Carlos da Silva.
A principal expectativa da administração municipal, segundo o prefeito, é dar encaminhamento ao projeto de construção de 49 casas populares em Jaboti. O empreendimento receberá cerca de R$ 2,2 milhões em recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), em uma parceria dos governos federal, estadual e municipal. A licitação para a definição da construtora responsável pelas obras deve ser lançada até março.
Outra preocupação da prefeitura é com a ampliação do programa de moradias rurais. Até o momento, 18 imóveis foram entregues, 28 encontram-se com cerca de metade das obras concluídas e mais 10 estão contratados e serão iniciados em breve. As 56 unidades rurais representam investimentos de R$ 1,3 milhão através do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). A iniciativa faz parte de um trabalho conjunto do poder público e visa estimular a permanência da população no campo com subsídios de R$ 28.500 por casa.
“Jaboti tem cerca de cinco mil habitantes, dos quais 40% residem no meio rural, enquanto muitos moradores da cidade também trabalham na roça. Por causa dessa demanda, temos negociado com a Cohapar e o governo estadual a ampliação dos projetos do PNHR”, avalia Silva.
Nova fonte de recursos – Ao final do encontro, o prefeito reforçou o pedido de adesão do município ao Fundo Estadual de Combate à Pobreza. A iniciativa, lançada pelo governo estadual em 2015, prevê investimentos de R$ 130 milhões em habitação popular por ano. Os recursos são geridos pela Cohapar na construção de moradias populares para a realocação de pessoas que vivem em áreas de risco e situação precária no Paraná.
Sistema estadual facilita projetos – Para dar mais agilidade aos novos projetos, a Cohapar e a Prefeitura de Jaboti já realizaram um cadastramento dos moradores interessados em participar dos novos programas habitacionais, o que resultou em aproximadamente 600 inscrições. “São dados sobre o perfil socioeconômico da população, que nos ajudarão a planejar ações que supram a demanda específica do município”, explica Garcia.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Categorias e tags

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.