UTI adulta do Hospital Regional é irreversível e continuará na pós-pandemia

Presidente da Funeas descerrou placa de inauguração e depois visitou jornal

Após inaugurar a Unidade de Terapia Intensiva adulta do Hospital Regional do Norte Pioneiro na tarde desta segunda-feira, dia 27, em Santo Antônio da Platina, Marcello Augusto Machado, presidente da Funeas (Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Paraná) fez visita de cortesia ao npdiario.

Estava acompanhado do diretor de Qualidade e Processos da Funeas, Ednei Manzano; do prefeito local, Professor Zezão;  de Guilherme Saliba, ex-prefeito de Tomazina e assessor parlamentar do Primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Cláudio Romanelli, de Luciane Alves, representante do deputado Cobra Repórter; do Chefe de Gabinete do executivo, Ditinho Miranda e do diretor de Indústria e Comércio, Antônio Marcos de Souza.

Na ocasião, comentou do prazer em participar da cerimônia de inauguração e descerrar a placa neste histórico dia 27 de abril de 2020.

Mostrou onde foram investidos quase R$ 7, 5 milhões no imóvel.

Também detalhou que todos os funcionários da UTI adulta estão contratados e durante seis meses à disposição de pacientes da Covid-19. Se alguém for infectado pelo novo coronavírus será encaminhado a um hospital de Londrina, se não houver vagas, levado para a Santa Casa de Jacarezinho e, se não tiver leito disponível, aí sim internado no Hospital Regional.

É possível que nesses seis meses não receba ninguém doente. Depois desse período, se a pandemia persistir continuará priorizando essa doença, senão, passará,com novo contrato e especificações diferentes, a atender como uma UTI adulta “normal”.

A Funeas é responsável por sete unidades de saúde no Paraná: Hospital Regional Infantil Waldemar Monastier, em Campo Largo; Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá; Hospital Estadual Lucy Requião de Mello e Silva; em Guaraqueçaba; Hospital Regional Walter Pecoits (Sudoeste),em Francisco Beltrão; Hospital Regional do Norte Pioneiro,Santo Antônio da Platina; Escola de Saúde Pública do Paraná, em Curitiba; e o CPPI (Centro de Produção e Pesquisa de Imunobiológicos), em Piraquara.
É uma fundação pública com personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de beneficência social, de interesse e de utilidade públicos regida por seu estatuto e pela Lei Estadual nº 17.959, de 11 de março de 2014.
Integra a Administração Pública Indireta do Estado do Paraná vinculada à Secretaria de Estado da Saúde para efeito de supervisão e fiscalização de suas finalidades.
Tem por finalidade desenvolver e executar ações e serviços de saúde nas unidades próprias da Secretaria de Estado da Saúde.
FOTOS: EMERSON CHAGAS/ESPECIAL PARA O NPDIARIO

 

 

]

 

 

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.