Crea tem representação em conselhos municipais do Norte Pioneiro

Propõe ações de planejamento e execução de políticas públicas e valoriza profissões das áreas

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) tem representação ativa nos conselhos municipais do Norte Pioneiro. O objetivo da presença do Conselho nessas esferas é propor ações de planejamento e execução de políticas públicas e de novas soluções que pertençam ao sistema profissional.
Além disso, os representantes buscam combater o exercício leigo das profissões, evitando tomadas de decisões que comprometam a eficiência e eficácia das atividades atendidas pelo sistema Confea/Crea, podendo colocar a sociedade em risco.
Santo Antônio da Platina tammbém conta com representante do Crea-PR no Conselho Municipal de Habitação e Interesse Social. Nas reuniões, os membros discutem demandas de moradia para pessoas em estado de vulnerabilidade social e buscam encontrar soluções para auxiliar os moradores do município que sofrem com a falta da casa própria. “Tratamos questões como aluguel social e fornecimento de energia elétrica e de água e esgoto, por exemplo, em ocupações, que são locais que carecem desses serviços”, explica o Engenheiro Civil Giovanne dos Santos Leite (foto principal), representante do Crea-PR na Cidade Joia.
Para ele, que é Diretor Municipal Departamento de Engenharia da prefeitura local, a presença de um profissional de Engenharia Civil assegura que os processos seguirão critérios técnicos exigidos para o desenvolvimento de projetos. “Na última reunião, discutimos sobre a viabilização de moradias junto ao Governo Federal. Citei, inclusive, o programa Casa Fácil, criado pelo Crea-PR em 1989, que estabelece uma parceria com entidades de classe e prefeituras para a construção de moradias populares com até 70 metros quadrados”, explica Leite.
Neste programa, são beneficiadas famílias com renda de até três salários mínimos.
O Crea-PR oferece acompanhamento técnico para acesso à moradia digna, segura e econômica com toda a documentação legal, como alvará, projetos e outros documentos. Em mais de 30 anos, o Programa Casa Fácil já atendeu mais de 180 mil famílias com a construção de mais de 10 milhões de metros quadrados.
Em Cornélio Procópio, o Crea-PR tem representante no Conselho de Sanidade Agropecuária. O Engenheiro Agrônomo João Ataliba de Resende Neto explica as discussões que são apresentadas nas reuniões. “Nós discutimos a implementação e manutenção de estradas rurais, fomentos no setor de bovinocultura de leite, sanidade animal e qualidade e sanidade de produtos básicos voltados à população local. Outros temas contemplados nos encontros são as doenças que atingem as lavouras do município e a produtividade”.
Membro do Conselho de Sanidade Agropecuária há mais de seis anos, Resende Neto ressalta a importância da presença de perfis técnicos nessas esferas. “Os profissionais têm conhecimento e capacitação para tomar decisões de cunho técnico, que estão dentro das normas e leis regentes no município e no país”, acrescenta.
Em Bandeirantes, a representação é de responsabilidade do Engenheiro Mecânico Harlon Luna Ferreira (foto abaixo), no Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial de Bandeirantes. “Nas reuniões, discutimos a aprovação de licenças de empresas que querem se instalar no município, bem como de construções inadequadas ao Plano Diretor”. A convocação dos encontros é feita sempre que necessário. “Acredito ser muito importante a representatividade de órgãos relevantes da sociedade, assim como temos membros da OAB, do Ministério Público e assim por diante”, cita Ferreira.
Para o assessor de Gestão de Políticas Públicas do Crea-PR, Samir Jorge, as representações são fruto de um processo cada vez maior da presença do Crea-PR na discussão de temas relevantes para a sociedade. “Esta é uma iniciativa contínua em busca de participar o máximo possível em todas as representações, cuja atividade ou atuação tenha vínculo com as nossas profissões”, comenta.
Ao longo do tempo, as ações promovidas pelo Crea-PR geraram avanços para a percepção da importância do sistema profissional para a sociedade, gerando, assim, oportunidades de inserção profissional.
“Sempre que indicarmos a necessidade da elaboração de estudos básicos para uma determinada área do nosso sistema profissional, naturalmente ocorrerá a janela de oportunidade para inserção profissional, como por exemplo, a obrigatoriedade da elaboração de Estudos de Impactos de Vizinhança para permitir a instalação de determinada empresa, fato este que passa por discussão em Conselhos de Meio Ambiente de vários Municípios. Essa ação pode parecer simples, mas na prática protege o cidadão na convivência com atividades que poderiam causar danos, sejam sonoros, de poluição ou mesmo de intensa movimentação e que causariam incômodo na rotina diária destas pessoas que residem no entorno desta atividade comercial ou mesmo industrial”, afirma.
Para este ano, o Crea-PR pretende intensificar a interação com os representantes dos conselhos municipais. “Queremos colaborar com a melhoria da representação, fornecendo mais informações e apoio para que nossa representação cresça sempre, buscando a valorização das nossas profissões junto à sociedade e colaborando para a melhoria de vida das pessoas em todas as regiões do nosso Paraná”, finaliza Jorge.
Aa
Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.