“Rumo das manifestações espanta”

Muito me espanta o rumo das manifestações no Brasil. Parece que há muito mais ódio nos envolvidos do que realmente o sentimento de luta contra a impunidade da corrupção política.
Há muitos que, no meio da multidão, estão aceitando somente um lado da moeda, manipulados por grandes mídias de apenas algumas famílias de poder.
Vale lembrar que se há corrupção nos meios políticos, há aqueles que abastecem com seu poder e molde econômico os tais corruptíveis.
Mesmo assim, parecem que, nas manifestações, existem pessoas que se esquecem de que nossos políticos são os representantes que emerge dos votos da própria população. Eu diria que aquele dito popular “Digas com quem tu andas, que direis quem és”, poderia melhor ser traduzido em “Digas em quem votas, que te direis quem és”. Exatamente isso, de modo grosseiro: os políticos são iguais seu povo.
Acrescenta-se ainda, uma percepção de tendência jurídica medindo seus averiguados com a régua de torná-los réus, mesmo antes de haver o transitado em julgado.
Esse momento está me lembrando o enredo do livro “ O Alienista” de Machado de Assis. A obra de contexto realista, traz também as manifestações sociais versus as características psicológicas. Há crítica social sobre uma população alienada, com desvios e de caráter duvidoso, dos quais acreditavam na única visão de um único “Doutor”. Esse julgava sob um único aspecto embasados nos diagnósticos de loucura de seus experimentos.
Sendo assim, pode-se perceber uma proximidade entre a personagem do “Dr. Simão Bacamarte” com alguns juristas, uma vez de também estarem interessados em “Internar” ou na ação de prender primeiro para depois encontrar um diagnóstico, sob a tutela e interpretações da lei. Os possíveis erros podem se tornar irreparáveis.
Voltando ao tema, penso que Manifestação é um bom ato bom, entretanto todo cuidado é pouco para que não ocorra o retrocesso na evolução do estado democrático de direito. Nesse, se é possível manter a razoabilidade de basear os fundamentos e princípios da Dignidade da pessoa humana, antes de qualquer ação. Em outras palavras, o estado de direito é aquele no qual os mandatários políticos (na democracia: os eleitos) são submissos às leis promulgadas em congresso.
Espero, realmente, que esta fase turbulenta passe logo e que não tenhamos mais impactos na economia e no sistema político – republicano de nosso país.
Tenho a expectativa que TODOS os envolvidos nos escândalos sejam investigados; e casos comprovados, que sejam os novos presos das “casas verdes” do sistema presidiário brasileiro. Minha outra expectativa é de que nossa população não se torne sempre refém das armas dos alienígenas massificadores, cujos esses detêm do poder da comunicação popular em prol de si mesmos. Esses continuam induzindo nossos analfabetos funcionais a não lerem as entrelinhas dos interesses diversos.
Pois tudo isso está amarrando ainda mais nossa ordem e progresso.
Por isso que Nossa sociedade deve acreditar e focar na melhoria continua da democrática e deter do conhecimento consciente, desenvolvendo o senso crítico coletivo. A coletividade também precisa melhorar seus aspectos de ética e moral, para conseguirmos enviar representantes qualificados à sua altura.
Enquanto isso, continuo me espantando com o rumo das manifestações no Brasil.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.