Área plantada com soja já chegou a 126 mil hectares no Norte Pioneiro

Estimativa de produção para essa safra é em torno de 595 mil toneladas 

A área plantada com soja chegou a a 126.000 hectares na área do Núcleo Regional de Agricultura e Abastecimento de Jacarezinho, o que representa 75% dos 169.000 ha previstos para esta safra. A informação é de Franc Oliveira, do Deral(Departamento de Economia Rural) do Núcleo Regional de Agricultura e Abastecimento de Jacarezinho.

Os trabalhos de plantio ocorrem de acordo com as chuvas, ou seja, de maneira localizada. Com essa situação climática enquanto algumas regiões os produtores já semearam cerca de 91% de suas lavouras, outras não chegaram nem a plantar devido falta de condições ideais, baixo volume de chuvas insuficientes para realizar os plantios.

Diversos produtores da região realizaram a semeadura de suas lavouras no pó, contando com as previsões de ocorrências de chuvas, em diversas áreas as chuvas foram suficientes para início do processo de germinação, porém insuficientes para uma boa emergência podendo aumentar a desuniformidade das lavouras prejudicando potencial produtivo.

A estimativa de produção para essa safra, de acordo com Franc, é em torno de 595.273 toneladas.Os preços em média recebidos pelos produtores pela saca de 60 Kg no mês de outubro, foi de R$ 141,00. Valor em torno de 82% superior ao recebido no início do primeiro semestre de 2020.

A expectativa de produção para a safra paranaense de verão 20/21 aponta para um volume de 24,4 milhões de toneladas de grãos. A área plantada deve ocupar 6,09 milhões de hectares, segundo relatório mensal do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e Abastecimento.

Com a volta das chuvas, mesmo que irregulares, houve recuperação no plantio de soja que avançou para 61% da área prevista, correspondendo a um total de 3,4 milhões de hectares. Há um ano foram ocupados 3,54 milhões de hectares. Ainda há atraso em relação à safra passada, mas a volta das chuvas propiciou os trabalhos nas últimas semanas.

Chuvas irregulares é uma das principais características do fenômeno climático La Niña, mas a expectativa é que elas ocorram em momentos importantes do ciclo para garantir uma boa safra. As regiões mais afetadas pelo clima foram o Oeste e Sudoeste do Estado, que plantam a soja antes.

O clima deste ano está muito semelhante ao ano passado quando houve uma estiagem no início do plantio e depois o volume de chuvas foi bom e recuperou o plantio, garantindo um bom desenvolvimento das lavouras e o resultado foi o maior nível de produtividade da soja em relação a anos anteriores.  A expectativa do produtor é repetir esse cenário este ano.

Com uma área de 5,55 milhões de hectares previstas para a soja em todo o Estado, a estimativa de produção aponta para um volume de 20,5 milhões de toneladas, levemente inferior à colhida no início deste ano.

Cerca de 40% da produção estimada para a safra 20/21, que corresponde a um volume de oito milhões de toneladas do grão, já foi vendida. Isso representa o dobro do ano passado, quando nessa mesma época tinham sido vendidas em torno de 3,8 milhões de toneladas.

A pré-venda acelerada está ocorrendo em função da elevação da demanda no mercado mundial, capitaneado pela China, e da cotação do dólar alto, em torno de R$ 5,80. Há um ano, o dólar estava cotado a R$ 4,00. Nesse período a soja teve uma valorização de 87%, passando de R$ 75,00 a saca há um ano para R$ 141,00 a saca no mês de outubro.

Você terminou a leitura

Compartilhar essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Escrever um comentário

Pesquisar

Digite abaixo o que deseja encontrar e clique em pesquisar.